Filhos de Elis Regina participam de desfile da Vai-Vai

A Vai-Vai, penúltima escola do Grupo Especial de São Paulo a desfilar, levantou o público com a homenagem a Elis Regina. Com o enredo "Simplesmente Elis: A fábula de uma voz na transversal do tempo", a agremiação trouxe os filhos da cantora, Maria Rita, Pedro Mariano e João Marcelo Bôscoli, para o desfile.

FABIANA CAMBRICOLI E EQUIPE AE, Estadão Conteúdo

15 Fevereiro 2015 | 06h20

Após desfilar na comissão de frente da Vai-Vai, a cantora Maria Rita chegou à dispersão muito emocionada, passou mal e agora foi atendida dentro de uma ambulância instalada no espaço. Depois, em conversa rápida com a imprensa, Maria disse estar "emocionada e honrada" com a homenagem feita à sua mãe. Além dos filhos de Elis, a agremiação também trouxe, no segundo carro, Luciana Melo e Jair Rodrigues, o Jairzinho, como destaques. O carro deles tem referências aos anos 60.

Vale notar, no entanto, que dois dos carros da Vai-Vai tiveram, aparentemente, algum problema. O último carro alegórico, que retratava a música Alô Alô Marciano, soltou fumaça pela parte de trás e um dos integrantes ficou encostado no local tentando evitar que alguém visse.

Além disso, o carro abre-alas, com 90 metros de comprimento, apresentou pequenos problemas para se manter alinhado, mas os integrantes conseguiram conduzi-lo até o fim. O coordenador de alegoria da Vai-Vai negou que o abre alas tivesse apresentado problemas. Segundo o carnavalesco da escola, André Marins, o abre-alas foi o maior carro alegórico que já passou pelo Anhembi. "As gigantes estruturas de homens montados em cavalos mostram a cavalgada dos pampas, representando a vinda desse furacão chamado Elis do Rio Grande do Sul para o Brasil e para o mundo."

A Comissão de frente mostrou as diferentes fases de Elis Regina em 15 figurinos. Para empurrar a Vai-Vai na avenida, o público do Anhembi recebeu, além de bandeiras, máscaras da cantora Elis Regina, homenageada pela agremiação do Bexiga.

Mais conteúdo sobre:
CarnavalVai-Vaidesfile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.