Fim do visto para brasileiros vai demorar, diz diplomata

O ministro conselheiro da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, sinalizou nesta segunda-feira que, apesar das conversas entre os dois países, a liberação da necessidade de visto para brasileiros é algo que demorará para acontecer. Chapman salientou que o tema foi discutido entre os presidentes do Brasil, Dilma Rousseff, e dos Estados Unidos, Barak Obama, na semana passada.

CÉLIA FROUFE, Agência Estado

16 Abril 2012 | 15h41

"Estamos bem interessados em continuar os diálogos, discutir detalhes, mas vai precisar de muito tempo, muita conversa, muito acordo para isentar brasileiros de visto", disse a jornalistas na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, que receberá a secretária de Estado americano, Hillary Clinton.

Questionado a respeito do aumento recente em US$ 20 da taxa, de US$ 140 a US$ 160, para obtenção de visto, Chapman explicou que, na realidade, houve um barateamento do custo. Isso porque, segundo ele, agora está incluso o custo do serviço de correio, que antes era cobrado à parte.

Mais conteúdo sobre:
vistoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.