Finlândia planeja 1a usina nuclear pós-acidente em Fukushima

O consórcio finlandês Fennovoima anunciou a construção de um reator nuclear em Pyhajoki, no norte da Finlândia, no que será a primeira nova usina atômica no mundo desde o acidente radioativo de 11 de março na usina japonesa de Fukushima.

TERHI KINNUNEN, REUTERS

05 de outubro de 2011 | 10h26

O projeto, a um custo estimado de 4 a 6 bilhões de euros (5 a 8 bilhões de dólares) fornecerá energia a acionistas da Fennovoima, incluindo a siderúrgica Outokumpu, a rede varejista Kesko e subsidiárias locais da metalúrgica sueca Boliden.

O executivo-chefe da Fennovoima, Tapio Saarenpaa, disse em entrevista coletiva que a obra deve começar em 2015. "Vamos receber ofertas dos fabricantes de equipamentos em janeiro. Depois de termos passado por isso e escolhido o fornecedor, poderemos solicitar o alvará de construção do governo, por volta de 2012-13."

A Justiça finlandesa já arquivou recursos judiciais contra a nova usina, mas ambientalistas disseram que ainda tentarão barrar o projeto na União Europeia.

Partidários finlandeses da energia nuclear dizem que o país não tem condições econômicas de reduzir o uso desse recurso, como fará a Alemanha. Os longos e gélidos invernos finlandeses exigem um elevado consumo energético, e os setores madeireiro e siderúrgico do país também precisam de fontes baratas e confiáveis de eletricidade.

Mais conteúdo sobre:
FINLANDIANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.