Fiscais encontram rato e barata em cozinha de hospital

Fiscais da Vigilância Sanitária de Itu (SP) interditaram a cozinha do Hospital Dr. Francisco Ribeiro Arantes, mantido pelo Estado para tratar doentes de hanseníase, depois de encontrar ratos e baratas no local. Durante a inspeção, realizada na tarde de quarta-feira, os agentes avaliaram que o local não possui condições mínimas para oferecer alimentação de qualidade aos internos.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

19 Abril 2012 | 18h31

Além de insetos e roedores vivos, foi detectada a presença de fezes e urinas desses animais, denotando falta de higiene. O hospital, conhecido como Pirapitingui, conta com 261 pacientes em regime de internato, entre eles 74 doentes crônicos. O órgão é o único do Estado de São Paulo a manter hansenianos em regime de internato.

A direção do hospital informou ter firmado contrato emergencial por 90 dias com a empresa que já fornece refeições para outra unidade da Secretaria em Itu. Estão sendo fornecidas cinco refeições diárias para 135 pacientes que moram nas enfermarias e nos pavilhões. Os demais pacientes que ficam nas moradias se alimentam por conta própria por meio de cestas básicas fornecidas pelo governo estadual. Os 80 funcionários recebem marmitas da mesma empresa.

Uma equipe da Secretaria vai avaliar nos próximos dias um novo projeto para o refeitório. De acordo com a direção, a construção da atual cozinha é muito antiga e com pé direito alto, dificultando o acesso para limpeza do teto, exaustores e coifas, o que acaba atraindo roedores. O hospital passou por dedetização no final de 2011.

Mais conteúdo sobre:
saúdehospitalhigiene

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.