Físico russo condenado por venda ilegal de tecnologia

Um cientista russo recebeu uma sentença de seis anos de prisão - suspensa - por exportar ilegalmente tecnologias que poderiam ser usadas na produção de armas, informa o advogado do réu. Oscar Kaibyshev é o mais recente cientista da Rússia a ser visado pelos serviços de segurança por acusações de espionagem ou uso impróprio de informação secreta. Alguns acadêmicos e grupos de defesa de direitos humanos alertam que as investigações vêm amedrontando os pesquisadores envolvidos em parcerias internacionais.Kaibyshev, um físico de 67 anos, foi condenado por exportar tecnologias de uso duplo - sistemas com aplicação civil e militar - à Coréia do Sul, disse o advogado Yuri Gervis. Kaibyshev repidiou a acusação, dizendo que a tecnologia já havia sido patenteada nos EUA e em outros países. Ele pretende apelar da decisão.O cientista teria vendido uma tecnologia que usa processos moleculares para moldar metais, sem enfraquecê-los, à empresa sul-coreana ASA. Kaibyshev diz que a Asa pretende aplicar o processo na fabricação de pneus para carros. Mas a polícia federal russa, a FSB, órgão sucessor da KGB, afirma que a informação vendida por Kaibyshev poderia ser usada na produção de mísseis e armas, de acordo com a agência de notícias Itar-Tass.No ano passado, o pesquisador Igor Sutyagin foi condenado por traição, acusado de vender informação sobre submarinos nucleares e sistemas de alerta de mísseis a uma empresa britânica que seria uma fachada da CIA. Já o físico Valentin Danilov foi condenado por vender tecnologia espacial para a China.

Agencia Estado,

08 de agosto de 2006 | 14h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.