Fisioterapeuta atende em ônibus

Ela roda os bairros de Interlagos e Grajaú com sessões a R$ 12 para população carente

Isis Brum / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2010 | 00h00

Maria de Las Gracias Franceschini trabalhou durante 20 anos como terapeuta corporal em uma clínica de massagem e estética no Jardim Marajoara, na zona sul de São Paulo. Foi à Índia, à Tailândia e ao Chile aprimorar seus conhecimentos sobre cuidados com o corpo. Mas ela queria rodar pela cidade, tratando quem não pode pagar.

Foi assim que nasceu o projeto Fisioterapia Itinerante, um ônibus adaptado para atender pacientes carentes que precisam de reabilitação.

Maria se matriculou em um curso de Fisioterapia, formou-se e vendeu um terreno e um automóvel para financiar a compra do ônibus e pagar a readequação interna. Poltronas foram substituídas por macas e foi aberto espaço para assentos para os pacientes aguardarem sua vez. "Tirei até habilitação para dirigir o ônibus, mas não me adaptei."

O ambulatório deveria recomeçar o itinerário a cada três meses, mas se fixou em dois pontos - Interlagos e Grajaú - por causa do grande número de pacientes e a necessidade de tratamento prolongado.

Para receber atendimento, o paciente precisa levar o diagnóstico médico ou apresentar a guia com o pedido das sessões. É cobrada uma taxa de R$ 12 por atendimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.