Floresta Amazônica poderá ter seca extrema a partir de 2071

As Américas Central e do Sul, o centro da África e o norte do Canadá provavelmente serão as regiões mais afetadas or mudanças climáticas no período de 2071 a 2100, conforme um índice elaborado por cientistas da universidade suíça de ETH. A Floresta Tropical da Amazônia e as regiões da Bacia do Congo podem passar por cerca de 13 anos de seca extrema no período, segundo o estudo recentemente publicado no periódico científico Geophysical Research Letters. O norte do Canadá também será duramente atingido. Muitos estudos prevêem que o Ártico pode ficar sem gelo nos verões até 2100, ameaçando comunidades indígenas que caçam animais como focas e morsas. Os Estados Unidos, a Europa Central, a Austrália, o centro da Ásia e a Índia podem escapar dos impactos mais sérios da mudança climática, previu o estudo. Os cientistas suíços disseram que pesquisaram de 2071 a 2100, as últimas três décadas normalmente analisadas em estudos da ONU até 2100 sobre efeitos do aquecimento global.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2007 | 18h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.