Florianópolis e Blumenau estão fora do Mais Médicos

Municípios publicaram decretos que impediam a atuação de profissionais sem o revalida; secretário de Florianópolis, contudo, diz que edital do governo não previa essa infração

TOMAS PETERSEN, ESPECIAL PARA AE, Agência Estado

06 de setembro de 2013 | 20h09

As cidades de Florianópolis e Blumenau, em Santa Catarina, foram suspensas temporariamente do programa Mais Médicos do Governo Federal nesta sexta-feira, 06. Ambas as prefeituras publicaram decretos que impediam a atuação de profissionais estrangeiros sem o exame de revalidação de diploma.

A notificação foi enviada durante a tarde, e deu um prazo de cinco dias para que os prefeitos apresentem justificativas por escrito. Assinada pelo coordenador do projeto, Felipe Proenço de Oliveira, a notificação considera que "a celebração do Termo de Adesão e Compromisso representa concordância, por parte do Município participante, com todas as condições, normas e exigências" estabelecidas pelo projeto Mais Médicos.

Em Florianópolis era prevista a chegada de seis médicos no início desta semana. Somente um profissional se apresentou. Ele chegou a trabalhar três dias em um posto de saúde, mas através do Ministério da Saúde, foi transferido de cidade.

"Provavelmente na terça-feira iremos apresentar nossa justificativa. Não concordamos com a suspensão, pois o edital do programa não previa esta infração", disse o secretário de saúde de Florianópolis, Carlos Daniel Moutinho Júnior.

Blumenau deveria receber um médico na segunda-feira, 02, mas ele também não se apresentou. Até às 19h40 a prefeitura da cidade não atendeu a reportagem.

Mais conteúdo sobre:
Mais Médicossuspensão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.