Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Fluminense e Botafogo também se manifestam contra a volta de público aos estádios do RJ

Ideia da Ferj era ter convidados dos clubes em jogos no Maracanã, desde que tivessem anticorpos contra o Sars-COV-2

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2021 | 18h33

A ideia de ter o retorno do público no Campeonato Carioca não encontrou apoio entre três dos quatro principais clubes do Rio de Janeiro. Além do Vasco, Fluminense e Botafogo também publicaram notas oficiais nas quais se posicionam contra a presença de torcedores, enquanto o Brasil vive o pior momento desde o início da pandemia.

De acordo com o portal Uol, a ideia da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) era ter convidados dos clubes com testes que comprovassem que tem anticorpos contra o vírus e que não apresentassem comorbidades ou fossem do grupo de risco, e apenas no Maracanã. O Fla-Flu da terceira rodada do torneio, marcado para o dia 14 de março, seria o primeiro a testar a presença de público.

Uma reunião nesta sexta-feira, inicialmente para discutir outros assuntos, acabou entrando no tema. O Flamengo apoiou a ideia da Ferj, mas a maioria dos clubes foi contra.

Na nota oficial, o Fluminense se disse contrário ao retorno do público aos estádios e afirmou que "não utilizou e tampouco utilizará ingressos, convites ou credenciais cuja finalidade seja teste de público". O clube confirmou a reunião desta sexta, que afirmou ser para a avaliação da operação da primeira rodada do Campeonato Carioca.

Por sua vez, o Botafogo afirma que a volta do público pode agravar o quadro da pandemia e se disse surpreso com a volta da discussão em um momento de recordes diários de mortes e com perspectivas de pioras. Confira o texto das duas notas oficiais.

FLUMINENSE

O Fluminense Football Club é contrário ao retorno do público aos estádios. A nota publicada pelo O Globo induz a erro ao afirmar que os clubes concordaram em avaliar essa possibilidade, pois sequer foram convocados para uma reunião sobre o assunto. Soa como uma tentativa de dar destaque a um assunto que, para o Fluminense, está fora de discussão, neste momento. A referida reunião de sexta-feira tinha por objetivo tão somente a avaliação da operação da primeira rodada do Campeonato Carioca.

Sobre o suposto teste com convidados, o Fluminense esclarece que não utilizou e tampouco utilizará ingressos, convites ou credenciais cuja finalidade seja teste de público.

No momento em que se discute a interrupção do futebol em todo o país; que as preocupações com a nova cepa do vírus são crescentes; em que aumenta a mortalidade e a ocupação hospitalar, não há o menor sentido nesta discussão. Sequer que se inicie.

BOTAFOGO

O Botafogo de Futebol e Regatas reafirma o seu posicionamento de contrariedade ao retorno de torcedores aos estádios de futebol e reitera a sua postura publicamente conhecida desde o início da proliferação da COVID-19. 

Não por acaso, um dos pontos estratégicos de vacinação do Rio de Janeiro é o Estádio Nilton Santos, onde o Botafogo cumpre o seu dever social oferecendo as instalações à Secretaria Municipal de Saúde na campanha de imunização. O Nilton Santos é pioneiro em adotar protocolos específicos de segurança, ressaltando a importância dos métodos de prevenção.

No atual estágio da pandemia, caracterizada por uma crise sanitária permanente e no contexto de recordes diários de mortes, com perspectivas sólidas de piora no cenário, surpreende que o tema tenha novamente retornado à baila. 

O Presidente Durcesio Mello, em contato com a CBF e a FERJ, manifestou, novamente, a sua preocupação com o nível da crise sanitária e externou a importância dos máximos cuidados para preservar a comunidade de atletas, comissão técnica, funcionários e familiares diretamente impactados pelas atividades envolvendo a prática esportiva. 

O Botafogo aproveita para enviar uma mensagem pública para que todos reforcem os cuidados com a saúde e intensifiquem os hábitos de prevenção conforme orientado pelos órgãos competentes. Embora a vacinação esteja em curso, ainda há uma longa travessia a ser percorrida e que depende da conscientização e empenho de todos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.