Fogo atinge vegetação da região metropolitana de BH

A falta de chuva e a vegetação seca fazem com que uma série de queimadas atinja as matas de parte de Minas Gerais. Somente na região metropolitana de Belo Horizonte, o Corpo de Bombeiros registrou seis incêndios em florestas, incluindo em áreas de proteção ambiental, entre ontem e hoje. Segundo os bombeiros, não há registro de vítimas em nenhum dos casos.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

15 de agosto de 2011 | 18h01

Um dos incêndios de maior proporção foi registrado ontem, na Estação Ecológica dos Fechos, em Nova Lima, na região metropolitana da capital mineira. Segundo os bombeiros, o fogo destruiu a vegetação em uma área de cerca de 60 mil metros quadrados. Para controlar as chamas, foram mobilizadas 60 pessoas, entre brigadistas e integrantes do Corpo de Bombeiros, além de um helicóptero da corporação, usado para recolher água em uma lagoa próxima e jogá-la sobre o fogo.

No fim da tarde de hoje, os bombeiros voltaram a registrar focos esparsos na região e 20 homens seguiram para combater as chamas no local. Outro incêndio registrado ontem destruiu a maior parte da vegetação da Serra do Curral, um dos cartões postais da capital mineira. As chamas chegaram a ameaçar residências do bairro Belvedere, um dos mais valorizados da cidade, mas o bombeiros conseguiram evitar a propagação do fogo.

Além desses locais, também foram registrados focos de incêndios em uma mata em uma área da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), além de áreas de vegetação em Betim, Sarzedo e Contagem. De acordo com os bombeiros, desde o início do ano já foram registrados 295 incêndios em parques, reservas e sítios da região metropolitana de Belo Horizonte. Em todo o Estado, chega a 2.456 o número de queimadas em áreas do tipo.

Tudo o que sabemos sobre:
ambientequeimadassecaMG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.