Fogo destrói portal histórico na Coréia do Sul

Polícia investiga suspeita de que tenha sido um incêndio criminoso.

Marina Wentzel, BBC

11 de fevereiro de 2008 | 14h45

Um incêndio em Seul, capital da Coréia do Sul, destruiu parte de um portal de mais de quinhentos anos de idade. A construção é uma das principais atrações turísticas da cidade.O portal foi construído no século 14 e é considerado o maior tesouro histórico da Coréia.O fogo começou na noite de domingo e mais de 100 bombeiros tentaram apagar as chamas.Mas apesar do esforço, a estrutura de madeira que ficava apoiada sobre pilares de pedras foi completamente destruída em quatro horas e sobrou apenas a base de rocha. O incêndio não deixou vítimas fatais.InvestigaçãoA polícia está investigando o caso, mas acredita que o fogo foi propositalmente causado por vândalos.Segundo informações da edição online do jornal coreano Korea Times, a polícia interrogou um taxista que disse ter visto um homem de aparentemente 50 anos subir as escadas do portal, acender algo que se parecia com fogos de artifício e depois fugir.O presidente recém eleito Lee Myung-bak visitou a área do incêndio nesta segunda e disse à imprensa internacional que o cenário era "de quebrar o coração". "O coração do povo vai doer", enfatizou.O portal era comumente chamado Namdaemun (Grande Portal do Sul) e marcava a entrada principal da cidade de Seul. Primeiramente construída em 1398 e reconstruída em 1447, a estrutura de madeira foi inúmeras vezes restaurada e era a mais antiga da cidade.Há dois anos o portal foi reaberto à visitação do público pela primeira vez desde 1907.A edificação tinha dois andares e recebeu o status de "Tesouro Nacional Número 1" em 1962, quando já tinha sobrevivido a mais de cinco séculos e meio de história. Estimativas iniciais sugerem que serão necessários três anos para reconstruir a estrutura e a obra custará cerca de US$21 milhões.Há menos de três anos, outro incêndio destruiu um importante marco histórico e turístico, o precioso Sino de Bronze e o templo budista de Naksan, um dos mais antigos da Coréia do Sul.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
seulcoréia do sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.