Fogos no réveillon de Salvador dependem de patrocínio

Pela primeira vez desde que começou na década de 1990, a tradicional festa de réveillon do Farol da Barra, em Salvador, não terá um palco fixo para apresentações musicais. O evento deste ano terá um trio elétrico, comandado por Carlinhos Brown, que fará o trajeto conhecido no carnaval como Circuito Dodô - o caminho entre os bairros da Barra e Ondina pela orla da cidade.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

07 Dezembro 2012 | 18h17

"Estamos experimentando um novo modelo para a festa, que pode ser adotado por outras cidades e até outros países", avalia o músico, que chamou o evento de Réveillon Andante.

A ideia, concebida pelo próprio Brown, partiu da dificuldade financeira anunciada pela prefeitura para realizar a festa. Sem folga no orçamento e proibida de deixar contas em aberto para o próximo prefeito - ACM Neto (DEM), eleito em outubro -, por determinação da Lei de Responsabilidade Fiscal, o atual prefeito, João Henrique Carneiro (PP), havia tornado públicos, no fim de novembro, os problemas para a administração pública organizar o evento.

Com a parceria com o músico, que não vai cobrar pela apresentação e desfilará com o próprio trio, chamado Camarote Andante, a prefeitura reduzirá em cerca de R$ 800 mil o investimento em infraestrutura para a festa.

Agora, a pouco mais de três semanas para o evento, o gestor busca patrocínios para a queima de fogos. No ano passado, o show pirotécnico de 15 minutos, com fogos instalados em estruturas flutuantes no mar, custou R$ 700 mil.

Mais conteúdo sobre:
réveillon Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.