Forças armadas da China incentivam cibersegurança e softwares chineses, diz mídia estatal

As forças armadas da China vão elevar sua segurança eletrônica e acelerar o desenvolvimento doméstico de softwares, disse a mídia estatal nesta quarta-feira, conforme o maior exército do mundo busca reforçar potenciais fraquezas tecnológicas.

REUTERS

08 de outubro de 2014 | 12h14

O anúncio destaca a preocupação cada vez mais expressa da China sobre a Internet e cibersegurança, que o país vê como dominados por potências e valores do Ocidente.

"A segurança da informação deve ser considerada um projeto fundamental na prontidão militar de batalha", disse o jornal oficial do exército chinês.

"Vamos avançar fortemente com o desenvolvimento doméstico e independente de programas, e fortalecer as fundações de nossa segurança de informações", acrescentou o exército.

O presidente Xi Jinping, comandante das forças armadas, também chefia um órgão governamental para segurança na Internet, que visa transformar a China em uma "ciberpotência".

(Por Paul Carsten e Michael Martina)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.