Forças curdas pedem que EUA aumentem ataques aéreos contra o Estado Islâmico

As forças curdas que defendem Kobani pediram à coalizão liderada pelos Estados Unidos que aumentem ataques aéreos contra combatentes do Estado Islâmico, que reforçaram seu controle sobre a cidade síria na fronteira com a Turquia, neste sábado.

REUTERS

11 de outubro de 2014 | 16h13

A coalizão liderada pelos Estados Unidos intensificou os ataques aéreos no Estado Islâmico e em torno de Kobani, também conhecido como Ayn al-Arab, há cerca de quatro dias.

O principal grupo armado curdo, o YPG, disse em um comunicado que os ataques aéreos tinham infligido pesadas perdas ao Estado Islâmico, mas haviam sido menos eficazes nos últimos dois dias.

(Por Ayla Jean Yackley e Tom Perry)

Mais conteúdo sobre:
CURDOSTURQUIAESTADOISLAMICO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.