Forças da Tunísia matam seis pessoas em confronto com grupo militante

Forças de segurança da Tunísia mataram seis pessoas nesta sexta-feira, incluindo cinco mulheres, após um confronto com um grupo militante nos arredores de Túnis, dois dias antes de uma eleição parlamentar, disseram autoridades.

REUTERS

24 de outubro de 2014 | 11h05

A ofensiva em uma casa em Oued Ellil, oeste de Túnis, foi a mais recente operação de repressão da Tunísia contra militantes islâmicos, que, segundo autoridades, ameaçam a transição do país para a democracia após a queda, em 2011, do líder Zine El-Abidine Ben Ali.

Diversos militantes, incluindo mulheres, estavam presos em uma casa desde quinta-feira, após embates nos quais um policial foi morto quando tropas cercaram o local, de acordo com autoridades.

Autoridades disseram que um homem e cinco mulheres foram mortos quando as tropas avançaram sobre a casa nesta sexta-feira. Eles disseram também que duas crianças foram resgatadas.

“Nossas forças especiais mataram seis pessoas de um grupo terrorista que incluía cinco mulheres, as quais também trocaram fogo com nossas forças”, disse o porta-voz do ministério do Interior, Mohamed Ali Aroui, por telefone.

Detalhes sobre a batida policial e o que as autoridades suspeitavam que o grupo estivesse planejando fazer ainda não foram esclarecidos.

(Por Tarek Amara)

Mais conteúdo sobre:
TUNISIARADICAISCONFRONTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.