Forças do Mali estão matando civis, diz entidade pró-direitos humanos

A Human Rights Watch afirmou neste sábado que recebeu informações críveis sobre graves abusos, incluindo assassinatos, cometidos pelas forças de segurança do Mali contra civis nos arredores da cidade central de Niono.

Reuters

19 de janeiro de 2013 | 16h39

"Insistimos às autoridades do Mali, bem como aos franceses e soldados e autoridades (de países do oeste africano) que façam o seu melhor para garantir a proteção de todos os civis", disse o grupo sediado em Nova York, em um comunicado.

O Human Rights Watch assinalou que os tuaregues e árabes, grupos étnicos mais ligados aos rebeldes que tomaram o controle do norte do Mali, estão sendo especialmente visados.

Dirigentes do Exército do Mali não estavam disponíveis de imediato para comentar o assunto.

A França fez neste sábado pediu às outras potências mundiais que comprometam dinheiro e apoio logístico aos exércitos africanos prestes a se juntarem às tropas francesas que já estão combatendo militantes ligados à Al Qaeda no território do Mali.

(Reportagem de David Lewis)

Mais conteúdo sobre:
MALIHUMANRIGHTSABUSOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.