Forças sírias matam 2 diante de observadores da ONU, diz rebelde

A polícia síria matou duas pessoas nesta terça-feira ao abrir fogo contra uma multidão que esperava para recepcionar observadores da ONU na província de Deir al Zor (leste), segundo uma fonte rebelde.

REUTERS

22 Maio 2012 | 10h11

"Assim que o comboio da ONU entrou em Al Busaira, uma multidão jubilante de centenas de pessoas saiu para dar as boas-vindas. Em questão de minutos elas foram alvejadas", disse Abu Laila, ligado ao Exército Sírio Livre, da oposição, falando por telefone da cidade.

Ele disse que os observadores foram embora imediatamente e, chamados, recusaram-se a voltar. Acrescentou que, depois disso, houve confrontos entre rebeldes e forças leais ao presidente Bashar al Assad.

Não houve confirmação independente do incidente.

Outra fonte oposicionista na província disse que as forças do governo começaram a disparar canhões antiaéreos contra Al Busaira.

A ONU mantém atualmente 257 observadores desarmados para monitorar a precária trégua em vigor na Síria desde 12 de abril.

Também nesta terça-feira, cinco pessoas morreram na capital Damasco após a explosão de um dispositivo em um restaurante, de acordo com a imprensa estatal síria e ativistas.

(Reportagem de Khaled Yacoub Oweis e Oliver Holmes)

Mais conteúdo sobre:
SIRIA OBSERVADORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.