Forças ucranianas entram em confronto com separatistas que rejeitaram trégua

Militares ucranianos e separatistas pró-Rússia entraram em confrontos violentes no leste da Ucrânia nesta quinta-feira, depois que rebeldes rejeitaram um pedido para abandonarem armas, dentro do plano de paz proposto pelo presidente Petro Poroshenko, disseram forças do governo.

REUTERS

19 Junho 2014 | 10h43

Os confrontos começaram por volta das 4 horas da manhã no horário local, perto da cidade de Krasny Liman, que está sob controle do governo desde o início do mês.

"Nós emitimos um ultimato para os terroristas durante a noite para que entreguem suas armas. Nós garantimos a segurança deles e uma investigação em linha com as leis ucranianas... Eles recusaram", disse o porta-voz das forças do governo Vladyslav Seleznyov.

"Agora estamos tentando fechar o cerco. Eles estão tentando rompê-lo", disse Seleznyov.

Outros detalhes do confronto não estavam imediatamente disponíveis por parte dos rebeldes.

Poroshenko, empossado como presidente em 7 de junho, está tentando implementar um plano de paz para encerrar a rebelião separatista, incluindo uma oferta para um cessar-fogo unilateral por forças do governo e uma anistia aos separatistas caso eles abandonem suas armas.

O presidente deverá ter um encontro mais tarde nesta quinta-feira com autoridades regionais de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia, para explicar seu plano, mas ele descartou encontrar-se com separatistas.

(Por Lina Kushch e Aleksandar Vasovic em Donetsk e Pavel Polityuk em Kiev)

Mais conteúdo sobre:
UCRANIACONFRONTOSEPARATISTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.