Formato pode incluir negócios e diversão

Fazer podcast virou negócio. Dê olho no público ávido por novidades e que acompanha de perto as tendências, empresas passaram a inserir em seus sites programas e conteúdo voltado para quem busca se informar por meio dessa nova tecnologia. Raul Ferreira está entre os entusiastas de podcast que resolveu tornar disso uma fonte de renda. Em 2005, o publicitário tentava emplacar uma idéia de uso de jogos virtuais em campanhas publicitárias quando leu uma matéria sobre podcasts na revista norte-americana Wired. Gostou da história e fez o seu primeiro podcast, para divulgar o projeto dos jogos. A partir daí, começou a vender também a idéia do podcast entre os seus possíveis clientes. Resultado: eles deram certo, enquanto os games nunca decolaram. Hoje, Raul tem 12 funcionários que trabalham para ele na sede da PodCasting Brasil (www.podbr.com), empresa especializada na produção de podcasts para outras empresas. "A idéia é fazer tudo, desde propor a pauta, realizar a produção, fazer entrevistas até a publicação do episódio", diz ele. Desde a sua criação, há cerca de três anos, a PodCasting Brasil já publicou cerca de 6 mil programas, e tem entre seus clientes empresas como Natura, IBM, Banco Real e Laboratórios Fleury.Em outra linha, os jovens Deive Pazos e Alexandre Ottoni, definem a si mesmos como empresários e podcasters. Eles são os criadores do NerdCast (www.nerdcast.com.br), podcast sobre cultura nerd que nasceu da vontade dos dois de trazer a público suas conversas mais comuns. Os programas têm cerca de 10 mil downloads por semana, e já são mais populares que o próprio blog JovemNerd, hospedado no portal iG. "Esse é o nosso negócio, e nos divertimos muito com ele", diz Ottoni.Como escutar e produzir O que ouvir!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.