Fórum dos leitores

Cartas e e-mails enviados pelos leitores do 'Estado'

O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2017 | 05h00

CORRUPÇÃO

Corruptos na cadeia

A falta de notícias da Polícia Federal caçando corruptos trouxe-me uma sensação de desânimo, admitindo até a hipótese de já estar “tudo dominado”. Felizmente, sexta-feira os federais voltaram às ruas. Temos pressa, mas muita pressa. Porque, dados os desmandos perpetrados - de orientações econômicas irresponsáveis de caráter populista aos megarroubos de dinheiro público pelas quadrilhas que se apossaram do poder -, só mesmo com a punição exemplar desses corruptos poderemos ter a esperança de um mínimo de decência na condução dos destinos deste maravilhoso país. Assim, talvez nossos netos não tenham de passar pelo vexame de viver na pátria da corrupção internacional. Corrupção, no mínimo, permitida por um presidente da república (com p e r minúsculos) que nunca soube dos roubos sob suas barbas e ainda tem a insolência de se achar capaz de recuperar o País da desgraça por ele mesmo patrocinada.

ANTONIO CARLOS GOMES DA SILVA

acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

*

Petrolão internacional

Os efeitos das quadrilhas montadas nas nossas estatais pelo PT de Lula não só entram para a História como o maior evento de corrupção do País, mas também empresas brasileiras investigadas nos EUA - Petrobrás, Eletrobrás, etc. -, em mais uma humilhação para nossa sociedade, acabam de deixar o Brasil em primeiro lugar no quesito pagamento de propina na terra de Tio Sam. Desbancamos a China, que há três anos liderava o ranking. Esse propinoduto do PT ainda promete muito estrago.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Recibo de propina

Chama a atenção a decisão do meritíssimo juiz da 1.ª Vara Federal Cível de Curitiba que considerou não representar dano aos cofres públicos o pagamento de propina a agentes da Petrobrás. Diz o magistrado que “(a Petrobrás) pagou, em verdade, o preço do contrato e em razão de um serviço que, em tese, foi realizado a contento (...). Logo, o pagamento da propina não implica, ipso facto, dano ao erário, mas desvantagem, em tese, às próprias contratadas”. Ora, como assim, “desvantagem às contratadas”... ? Será que S. Exa. acredita mesmo que as contratadas tiveram alguma desvantagem em sua relação com a Petrobrás, a esta altura dos fatos? Os próprios executivos das empreiteiras admitiram, perante o juiz Sergio Moro, da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, que os valores das propinas eram “embutidos” no custo dos projetos, logo, o prejuízo para o erário restou admitido pelos próprios réus. De que mais precisa a Vara Cível para condenar esses ladrões? Mesmo com a confissão, o magistrado parece querer, como “prova” definitiva da maracutaia, quem sabe, um documento formal em que se demonstre contabilmente a relação entre o prejuízo da Petrobrás e o pagamento das propinas, o que é, simplesmente, inexequível. Como se vê, juízes modernos e “antenados” como Sergio Moro continuam a constituir exceção num mar de protocolos, exigências e formalismos seiscentistas em que navega a avoenga Justiça brasileira. 

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo 

*

LULOPETISMO

Depois do naufrágio

O iceberg Lava Jato fez um rombo no casco do navio Lula, que afunda rapidamente. Os passageiros petistas procuram desesperados pelos botes salva-vidas, onde se lê PSTU, PSOL e até mesmo Novo PT. A cúpula dos companheiros, camerata desafinada da primeira classe, já com água na cintura, toca o datado jingle “Lula lá, brilha uma estrela”. Enquanto isso, em outros oceanos menos turbulentos os navios da Petrobrás, outrora parados por roubalheira de seu combustível, voltam a navegar com imponência.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

Sonhos de verão

Ano novo e o mesmo velho Lula de sempre, o eterno candidato a presidente. Quando (mas só se for necessário, é lógico) ele vai, enfim, comprar um desconfiômetro e ao mesmo tempo, para o bem do Brasil, tomar uma boa dose de semancol, acompanhada de chá de sumiço?

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

Pobreza permanente

O “sem-terra” Stédile disse tudo ao afirmar ser Lula “o candidato permanente do povo pobre brasileiro”. Aliás, o termo permanente nunca foi tão bem aplicado. Sem dúvida, noves fora o permanente conluio com as empreiteiras, permanente há de ser também a pobreza para ele. Senão de onde viriam os votos para o “candidato permanente” dela?

HOMERO VIANNA JR.

homeroviannajr@hotmail.com

Niterói

*

Vidas secas

Em 1938 Graciliano Ramos escreveu o romance Vidas Secas, que retrata as agruras de uma família de retirantes sertanejos, fugindo da seca. Quase 80 anos depois o problema persiste, não sai das manchetes da mídia. Em agosto do ano passado, governadores daquela região criticaram a transferência de recursos federais para o Departamento de Obras Contra a Seca (Dnocs), autarquia centenária criada em 1919 para essa atividade. Aí pensamos, confiantes: agora vai. Mas, qual nada... Até agora pouco fez em prol dos sertanejos. Será que a “grana” só mudou de gestor? Creio que sim, pois, tudo continua como dantes. O oportuno e excelente editorial Estiagem de ação (12/1, A3) mostra com exatidão a dramaticidade do problema, o número de Estados e de brasileiros afetados pela seca e as causas de tanta inércia e tanto desrespeito ao ser humano. Embora a leitura não faça parte do seu dia a dia, gostaria imensamente que um “ilustre” cidadão nascido em Garanhuns e hoje morando em São Bernardo - não se sabe se de aluguel ou em imóvel cedido graciosamente - lesse esse texto, pois grande parte dessa desgraça instalada se deve justamente a ele. 

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

De grão, em grão...

Lula entrou com uma ação de reparação por “danos à sua imagem, honra e reputação” contra o promotor de Justiça Cássio Conserino, do Ministério Público do Estado de São Paulo, no valor de R$ 1 milhão. Anteriormente, o “grande líder” e “herói popular” já havia investido contra outros alvos, entre os quais o promotor da República Deltan Dallagnol e o juiz federal Sergio Moro. A seguir nesse andar, o ladino ex-presidente não mais deverá ocupar-se em procurar justificar com pretensas e malfadadas “palestras” as suas gigantescas economias milionárias.

LUÍS LAGO 

luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

*

O SALÁRIO DOS PROFESSORES

Piso salarial nacional do professor tem reajuste de 7,64%, e remuneração passará a ser de R$ 2.298,80. Além de ser pouco, apenas 44,9% das cidades brasileiras cumprem o valor mínimo pago ao professor. Agora, uma ideia para resolver de uma vez por todas o problema do salário do professor no País: que tal majorar para sempre o salário do professor em 15% do salário de um deputado federal? Vocês não acham justo?

Arnaldo de Almeida Dotoli 

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

SERÁ CORRETO?

Quando um professor recebe R$ 2.300,00 e um vereador, R$ 15 mil, e ainda acha pouco, alguma coisa está errada nesta sociedade...

Luiz Frid 

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

BONANÇA DA RECEITA

No apagar das luzes de 2016, em 29 de dezembro, foi editada mais uma medida provisória, a de número 765, que "altera a remuneração de servidores de ex-territórios e de servidores públicos federais; reorganiza cargos e carreiras, estabelece regras de incorporação de gratificação de desempenho e aposentadorias e pensões e dá outras providências". É pena que a nossa imprensa não tenha se debruçado sobre o assunto. Trata-se de mais um caso de "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço". No momento mesmo em que o ministro da Fazenda condiciona o salvamento de Estados falidos a um draconiano programa de reequilíbrio orçamentário a ser implantado por eles, incluindo o corte de despesas com funcionários, a citada medida provisória brinda os auditores fiscais e analistas tributários da Receita Federal com generosos "bônus de eficiência e produtividade na atividade tributária".  Note-se que o salário inicial dessas carreiras é de R$ 19.669,00, enquanto o piso salarial dos professores foi agora aumentado para R$ 2.298,80. O valor de tais bônus será definido por um comitê gestor até 1.º de março e, até lá, estarão sendo pagas parcelas mensais de R$ 7.500,00 aos auditores fiscais e de R$ 4.500,00 aos analistas tributários. Para completar a dádiva, os aposentados e pensionistas dessas carreiras foram também agraciados com o mesmo bônus. É realmente deplorável que o Estado brasileiro não puna os funcionários que não cumprem suas obrigações, inclusive com a demissão, e se disponha a premiar aqueles que o fazem. Será que nossos governantes julgam ser de bom alvitre estar nas boas graças de funcionários que têm amplo acesso às informações sobre sua vida financeira?

Hélio de Lima Carvalho 

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

*

DESEMPREGO EM 2017

 

Se é certo que a redução da taxa Selic para 13% ao ano, com diminuição de 0,75 ponto na última semana, influiu na baixa do dólar e até na alta da Bolsa de Valores, também é fato que no ano de 2017 o desemprego no Brasil passará dos 13 milhões de cidadãos, sendo certo, então, que, de cada 3 desempregados no planeta, 1 será brasileiro, situação que demonstra claramente a necessidade de flexibilizar as leis trabalhistas e tomar providências várias para os investimentos que gerem empregos. Nota-se a intenção do governo federal de propor medidas que, conjuntamente, atingirão este objetivo maior: crescimento, emprego e estabilidade inflacionária.

José C. de Carvalho Carneiro 

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

SUBMERGINDO

A economia mundial deve crescer 2,7% este ano e os emergentes devem crescer 4,2%. Já para o Brasil, a expectativa é de 0,5%. Passamos a integrar um novo bloco: o dos submergentes. 

Jorge A. Nurkin 

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

ORGIA

Já no limiar da paciência dos contribuintes, daqueles mais lesados pela corrupção, daqueles que não têm saúde, educação e sustentam o Poder Judiciário mais caro do planeta num país que nem sequer tem justiça, vem o governo e anuncia um reajuste salarial a várias categorias de servidores públicos federais. A nata do corporativismo! Dizem os articulistas do Palácio do Planalto que se trata de algo aprovado em maio de 2016, aliás, quando Dilma Rousseff assinava até atestado de óbito para angariar simpatia e permanecer no poder. Não deveriam revogar tais atos? Nos próximos dois anos essa orgia custará R$ 11,2 bilhões. Uma imoralidade que ofende a sociedade, até pela desfaçatez quando anunciam isso em paralelo ao anúncio de novo recorde de desemprego no Brasil. Mais de 12 milhões de desempregados (apenas no mercado formal). Segundo o IBGE, a família média brasileira é formada por 3,3 membros, tendo ainda em média 1,6 filho. Conclui-se, de forma básica, que a questão do desemprego no mercado formal atinja diretamente quase 40 milhões de pessoas, cerca de 19,4% da população, que obrigatoriamente disponibilizarão recursos para pagar estas e tantas outras libertinagens do corporativismo instalado no poder que se rotula de reformista. Isso quando, em melhor definição, deveria se rotular de incompetente e conformista em flagelar as contas públicas.              

Oswaldo C. Filho 

colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

O BRASIL PRECISA MUDAR

Precisa mudar rapidamente. Ordem é progresso estão mais para desordem e retrocesso. O Paraguai, sempre alvo de piadas sobre seus produtos, um país pobre e de poucos recursos, conseguiu virar essa página. Depois de uma administração federal contida, o país tem reservas, tem indústrias modernas e tem trabalho, sim, senhor, tem trabalho no campo e na indústria. Empresas tradicionais brasileiras estão se instalando lá. Outras daqui, ao invés de comprarem tradicionalmente seus produtos da China, estão mandando manufaturar no Paraguai. Esse país pequeno, mal estruturado, fez uma reforma tributária, alterou significativamente todas as suas leis e já é um pais promissor. Tem um plano de incentivos empresariais gigante e está fazendo concessões internacionais de hotelaria porque descobriu o que todo mundo está cansado de saber: indústria, emprego e turismo são as maiores fontes de arrecadação que existem. Aqui, no Brasil, não se governa, existe uma feira de trocas em que diariamente se troca apoio por poder. Você me apoia e ganha um ministério ou algum outro cargo que tenha mordomia. Aqui não se fala do povo, fala-se somente da base aliada e da confusão causada pelos 34 partidos políticos. O Congresso parece um parque de diversões, a Câmara, nem se fale, não tem o que falar do descalabro no exercício. Quase 100% dos ditos parlamentares são ou estão sob investigação, ou seja, gente ruim que está no poder, quando deveria estar presa junto com alguns poucos que estão guardados em Curitiba. Ainda bem que existe uma instituição chamada Polícia Federal. Pátria Educadora foi a maior mentira que um mandatário pôde dizer sobre este país. A qualidade da educação pública, o seu nível e o analfabetismo são bizarros. Nunca o País foi tão brutamente saqueado por representantes públicos, saqueado de tal forma que impactou diretamente no emprego, na indústria, na saúde, na educação e na segurança de cada cidadão, que paga uma montanha em impostos para estes parlamentares desclassificados que usam o dinheiro honesto que sai da mesa de quem recolhe impostos para morar de graça, comer de graça e andar de avião da Força Aérea Brasileira, de graça. Tudo o que é de graça se torna uma verdadeira desgraça. Diariamente a imprensa internacional cita o Brasil. Não pelas qualidades geográficas, pelo clima sublime, belezas naturais; mas como um dos países mais corruptos do mundo, onde a corrupção faz parte de dia a dia da Nação. Tornou-se um país desacreditado perante investidores, um país que não transmite seriedade, que não tem leis fixas. São leis mutantes, que de acordo com a conveniência mudam através de artigos, parágrafos ou incisos. A carga tributária brasileira é outra vergonha. O poder, ao invés de buscar individualmente um pouco dessa vergonha na cara para reduzir os gastos astronômicos de cada parlamentar (isso vale desde vereadores), busca métodos de cobrar e tributar mais de quem já está penalizando, de quem produz e gera arrecadação. Não adianta ir para as ruas pedir a saída de um presidente. Isso é um começo, sem dúvida, mas precisa ir às ruas para pedir a saída desta Constituição, trocá-la por uma honesta, pedir a redução de salários destes parlamentares (é ultrajante o que ganham, o que custam), quando pessoas ainda morrem na fila de atendimento médico. Ou o Brasil muda rapidamente ou perderemos no curto prazo grandes fontes de arrecadação (indústrias, por exemplo), porque estas, com certeza, irão se mudar.

Luiz Antonio Martins 

luiz@fhadvogados.com.br

São Paulo

*

NOTÍCIA BOA E OUTRA RUIM

A notícia boa é que a Petrobrás, em 2016, conseguiu se reerguer e até já pretende fazer novos investimentos em 2017, na ordem de US$ 20 milhões. A notícia ruim é que Lula pretende se candidatar à Presidência do País em 2018 e, juntamente com sua tigrada, já está de olho na evolução da empresa estatal. Todo cuidado é pouco! 

Júlio Roberto Ayres Brisola 

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

LULA, A SALVAÇÃO?

Com a habitual soberba, megalomania, falta de vergonha e desprezo pela população minimamente esclarecida deste país, o boquirroto, cinco vezes réu na Operação Lava Jato, ameaça-nos com sua candidatura à Presidência, "se necessário for", apresentando-se como a salvação do Brasil. Que esta grotesca figura do ideário político nacional é deplorável e execrável todo mundo sabe. O que, no entanto, é mais deplorável e execrável é que idiotas ainda lhe dão guarida, ouvidos e votos. A esperança de que este câncer agressivo seja extirpado reside tão somente na operação que o dr. Sérgio Moro  deve realizar o mais rapidamente possível.

Renato Otto Ortlepp 

renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

QUEM NINGUÉM SE ENGANE

Estas ameaças que Lula tem feito em seus ferozes discursos Brasil afora, no sentido de voltar ao poder em 2018, são tão vazias quanto aquelas feitas pela Operação Lava Jato no sentido de que vai chamar o ex-presidente às falas, como se usa dizer. Jamais acontecerão. Pura e simples!

Maria Elisa Amaral 

marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo 

*

VÍTIMAS DA 'JARARACA'

Infelizmente, existe imbecil que acredita nos encantos da "Jararaca". Ele promete voltar e se vingar de todos, inclusive dos idiotas que o apoiam, pois também serão vítimas da incompetência e da ganância já demonstradas em dois mandatos.

José Roberto Iglesias 

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

SE PRECISAR...

Lula falou que, "se precisar", ele será novamente candidato. É sabido que a urna eletrônica usada no Brasil não é totalmente confiável, está sujeita a fraudes internas e externas e não permite auditoria. Será que, se ele for novamente candidato, desta vez conseguiremos entender as fragilidades do sistema? Se sim, está de fato precisando.

Jorge Alberto Nurkin 

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

LULA LÁ

Lula já pode se considerar o novo presidente da República. Não, ele não será julgado nem preso no curto espaço de tempo até as eleições. Lula não terá adversários à altura, ganha fácil de Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin, Marina Silva e Michel Temer, que provavelmente será seu adversário se houver segundo turno. O Supremo Tribunal Federal (STF) não tem capacidade nem vontade política para cumprir seu dever: se não tem coragem de concluir um processo contra Renan Calheiros, na melhor das hipóteses Lula será julgado postumamente, muitos anos depois de ter concluído seu novo mandato como presidente. Quem não gostar dessa realidade pode pegar as suas malas e tentar a sorte em outro país. 

Mário Barilá Filho 

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

ATENTADO

"Nós voltaremos." Essa singela frase ganha um significado aterrador quando pronunciada por Lula durante os ferozes discursos que vem fazendo pelo Brasil, ameaçando-nos a todos ao se lançar como candidato à Presidência da República para 2018. Um verdadeiro atentado, não apenas contra tudo o que é lícito neste país, mas até mesmo contra a segurança nacional. Só para dizer o mínimo!

?

José Marques 

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

ELE QUER VOLTAR

Lula é pior do que droga: vicia e causa dependência, além de incentivar a corrupção. Aliás, "Lula é aspiração", disse Rui Falcão. E droga lembra aspiração... Que comparação! Se relançar Lula, o PT vira facção, que é, de fato, a sua vocação! Que situação...

Gilberto Dib 

gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

PNEUMOTÓRAX

Era só o que faltava: o País mal respira e o tal Rui Falcão diz que Lula é a aspiração nacional...

A.Fernandes 

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PRAZO DE VALIDADE

Campeão como réu pela quinta vez na Operação Lava Jato, Lula defende o direito de candidatura à Presidência já em 2017. Ele aposta numa nova eleição para o Planalto acreditando que o presidente Temer, como vice que era de Dilma, perderá seu mandato no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na ação que julga uso de verbas ilícitas na campanha de 2014. E, com o boné do MST, num discurso inflamado em cujo conteúdo só ele acredita, o soberbo Lula afirmou: "Se preparem, porque se necessário eu serei candidato à Presidência". Caro Lula, necessário para quem? Para um novo golpe contra a sociedade brasileira, implantando novamente um governo anárquico e corrupto? Ou contra a classe trabalhadora, que hoje amarga a dura realidade de mais de 12 milhões de desempregados, fruto da maldita herança petista? Na verdade, este delírio de Lula tem prazo de validade. Como réu na Lava Jato, a possibilidade de ser condenado é enorme, e, como ficha-suja, ficará não somente impedido de participar de uma eleição, como também de assumir qualquer outro cargo público.  O melhor que o ex-presidente poderia fazer é voltar a viver lá no agreste, para sentir na pele que nada fez pelo seu sofrido povo enquanto no poder, em condições de minorar o angustiante flagelo da seca do Nordeste.

    

Paulo Panossian 

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ÚLTIMOS SUSPIROS

O ex-presidente Lula, aquele que em 2006, em campanha pela reeleição, negou categoricamente vínculo com o MST, agora faz campanha usando boné e estrutura desses foras da lei criminosos cujos bolsos o PT encheu de verba pública quando no governo. Tudo no antigo estilo da esquerda jurássica dos adoradores de Fidel. Mas, como apenas sobrou isso para o ex-presidente Lula, ele tem mesmo de organizar comícios em lugares pré-combinados, com pessoas escolhidas a dedo para aplaudi-lo, e a imprensa para divulgar. Gostaria de vê-lo se sujeitando a usar meios de transporte comuns, como aviões comerciais, ou fazer compras em shoppings, etc. Com certeza não teria o mesmo carinho recebido pelo MST. Fora que já existem provas contundentes da organização criminosa da qual fez parte no petrolão. A Odebrecht está delatando tudo e, com certeza, Lula está dando seus últimos suspiros como líder popular e em breve passará como detento.  

Beatriz Campos 

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

NO RANKING DA PROPINA

Pela primeira vez, o Brasil se tonou o líder do ranking de pagamento de propinas nos EUA, superando China e Iraque. Dados do Departamento de Estado dos EUA mostram que houve 19 menções de propinas pagas por empresas brasileiras nos EUA, quase o dobro das dez menções em 2015, afetando os investidores norte-americanos. É uma triste liderança brasileira no ranking da corrupção, que apenas escancara nosso subdesenvolvimento, atraso, corrupção e impunidade. Não surpreende que não haja dinheiro para educação, saúde, previdência, infraestrutura, cultura, esporte e arte num país atolado na mais grossa corrupção.

Renato Khair 

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

ARENA SUCATEADA

Maracanã lidera a manada dos elefantes brancos. Taí o mais que decantado legado esportivo lullopetista...

A.Fernandes 

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CRISE NOS PRESÍDIOS

Há tempos a imprensa vem acompanhando e denunciando a situação calamitosa dos nossos presídios. Mas parece que o presidente Michel Temer anda desinformado ou sem tempo para pesquisar sobre o tema, que ele definiu como "acidente pavoroso" e depois ainda disse que a situação dos presídios era motivo de preocupação e que algumas informações recebidas eram motivo até de "surpresa". Quem enganar quem? Pior é quando vemos a imprensa citando as falas de Temer de maneira deslocada e não atuando na crítica desse discurso com fatos que o contradizem. Pelo contrário, faz a defesa de um plano de segurança pública criado às pressas, sem nenhum planejamento ou metas fixadas.

Marcelo Rufino Bonder 

marcelobonder@hotmail.com

Paraguaçu Paulista

*

FORÇA DE MINISTÉRIO

Quando se quer resolver o problema, resolve-se. Quando não se quer, fica ouvindo abobrinhas como as dos deputados que propuseram transformar a Secretaria Nacional de Segurança em ministério, sob a alegação de que um ministério teria mais força. E mais gastos também, não? Ora, parem com isso. A força não depende de ser ministério ou não. Depende de quem comanda e da autoridade que tem.

Panayotis Poulis 

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

QUEM PARIU A CRISE

Imaginem quantos presídios de segurança máxima daria para terem sido construídos com o dinheiro que Lula e Dilma desviaram para a construção do Porto de Mariel, em Cuba, e para o metrô de Caracas! Temer, mande esta fatura para eles! Afinal, quem pariu esta crise que a embale!

Mara Montezuma Assaf 

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

SEGURANÇA 

O sistema prisional atualmente põe em risco a segurança da população brasileira como um todo. Mas os recentes massacres em algumas penitenciárias finalmente estão levando organismos governamentais e o Judiciário a entrar para valer no encaminhamento das soluções, que não se limitam à repressão pura e simples. E a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Poder Legislativo precisam se envolver de modo que um amplo programa seja implementado. Sem perda de tempo.

Uriel Villas Boas 

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

A CULPA É DAS VÍTIMAS

Diante das cadeias superlotadas, com evidentes maus-tratos entre os presos, com matança generalizada dentro dos presídios, sugiro, para atender às pessoas dos direitos humanos (dos presos, é claro): não prender mais ninguém; se houver novas prisões, a culpa seria da Polícia que prendeu, do juiz que condenou e das vítimas, por estarem no local e horário errados. E alterar nossa bandeira, trocando os termos "ordem e progresso" por "desordem e recessão". E viva o Brasil!

Arcangelo Sforcin Filho 

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

ESCOLAS DO CRIME

Falta cadeia e sobra bandido. Durante mais de dez longos anos, a trupe petista cancelou 72 obras que dariam ao sistema prisional mais de 10 mil vagas na área penitenciária. O Rio de Janeiro tem o  maior número de obras distratadas: 12 obras destinavam-se a 1.499 vagas. O mais recente cancelamento envolvendo o Rio  ocorreu no ano passado. Seria construída uma cadeia pública feminina em Magé, com 659 vagas. O termo de parceria com a União, firmado em 2012, dava ao Estado um repasse de R$ 19,7 milhões da União para o Estado, mas o prazo para a licitação expirou em 15 de dezembro de 2016. Depois do Rio de Janeiro, o Estado com mais convênios cancelados é o Rio Grande do Sul. A construção de presídios visa a atender à demanda de um serviço de segurança cada vez mais repressivo. Mas o sistema pode criar vagas sem que seja necessário fazer unicamente obras de alvenaria. Faça-se uma garimpagem no sistema prisional e constate-se quantos presos estão superlotando os presídios sem terem sido julgados ou por delito de tal monta que não aconselharia o encarceramento. É preciso dar mais agilidade aos julgamento. As prisões no Brasil são escolas do crime, a partir do momento em que misturam o verdadeiro bandido com o ladrão de galinha.

Jair Gomes Coelho 

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

NADA MUDOU

Do relato de "Memórias do Cárcere", de Graciliano Ramos, para cá nada mudou, apenas a marca e o modelo dos luxuosos carros dos magistrados.

Francisco José Sidoti 

fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

PENA DE MORTE

Rebelião no presídio de Manaus com 56 mortes; em Roraima, mais 30 mortes. Policiais civis e militares mortos em 2016 totalizaram 226 casos. E dizem que não há pena morte no Brasil!

Claudio Juchem 

cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

CALAMIDADE NACIONAL

Calamidade nos presídios e na realidade do País. Coincidência? Creio que não. Fantástico o artigo de Suely Caldas "Sindicatos precisam mudar" ("Estadão", 7/1, B2). Por outro lado, frágeis os comentários e as soluções imediatistas de Almir Pazzionotto Pinto no artigo "A reforma trabalhista do governo Temer", de 10/1. Nossa estrutura está viciada e, portanto, comprometida. Precisa ser seriamente revista e cuidadosamente aprimorada. Não são soluções mágicas que vão resolver. O problema é mais profundo, é de base, a mesma do sistema trabalhista, quanto prisional. O número é gigante de desempregados, à margem da sociedade, excluídos ou paupérrimos, ao passo que uma minoria detém o monopólio do dinheiro e do poder injustamente, posto que à custa de grande injustiça, à custa da maior parte da população. É uma questão de ordem e bom senso, primeiro, secar a máquina estatal judiciária do País - chega de regalias e supersalários acima do teto, chega dos cabides de emprego nos sindicatos à custado trabalhador. Precisamos, sim, enxugar a lei no que já não é mais cabido. Precisamos de desburocratização, educação, condição. Precisamos de coerência com a realidade. Não de soluções mágicas. Elas não existem. A base simples da lei é garantia básica do cidadão. E é o suficiente. Para aplicá-la, ou se o objetivo delas for sua aplicação, basta um programa de computador. É de trabalho e respeito que o cidadão precisa. Soluções milagrosas não existem e parecem coerentes só com os interesses de quem as formula.

Alice A. Câmara de Paula 

alicearruda@gmail.com

São Paulo

*

SE NÃO QUER VOTAR, RENUNCIE

 

O novo presidente da Câmara de Vereadores de Bauru (SP) está propondo adotar a abstenção nas votações dos vereadores. A inovação está agitando a política local, pois possibilita a fuga de assuntos polêmicos. Ele faz analogia com o eleitor que faltou e, portanto, se absteve. Mas não diz que, ao faltar, o eleitor é levado a pagar uma multa. O vereador também pode faltar à sessão e deixar de receber seu jeton. Mas o eleitor é dono de sua decisão, enquanto o vereador é apenas um delegado da população e não deve fugir às obrigações inerentes à eleição. Aquele que não se sentir em condições de votar, o melhor a fazer é renunciar ao mandato. Em vez de fugir à votação, o ideal seria que o vereador, além de votar, justificasse seu voto para que o munícipe ficasse sabendo exatamente qual a sua posição sobre os assuntos de interesse da população. Ainda mais: sendo o mandato de vereador remunerado, se puder se omitir de votar sem deixar de receber pela sessão, o parlamentar corre o risco de ser acusado de ganhar sem trabalhar. O melhor e o mais justo é votar. Sempre.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves 

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo                                                                                                     

*

FEBRE AMARELA

Há surtos de febre amarela acontecendo simultaneamente em vários Estados do Brasil, com óbitos já registrados em áreas urbanas. As autoridades públicas não podem continuar negando a realidade. As dezenas de mortes espalhadas por todo o País, a falta de informação na imprensa nacional e o silêncio do Ministério da Saúde mostram o total despreparo para fazer uma cobertura séria sobre este grave assunto esquecido desde 1942.

Luiz Roberto Da Costa Jr. 

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

PESQUISA BRASILEIRA DE MÍDIA

A Pesquisa Brasileira de Mídia, encomendada pela Secretaria de Comunicação da Presidência ao Ibope, apontou que os jornais impressos lideram a confiança dos brasileiros como meio de comunicação, entre os quais o "Estadão" nosso de cada dia. Nada menos do que 59% dizem confiar sempre ou muitas vezes nas notícias publicadas nos jornais, 57% em rádio e 54% na TV. Em relação à mídia digital, 62% disseram confiar poucas vezes nas redes sociais e 54% em blogs. O tempo passa, os meios de comunicação evoluem, as novas plataformas estão aí, mas a letra impressa no papel permanece como sólida referência de credibilidade dos leitores. Como diz o provérbio latino, "verba volant, scripta manent".

J. S. Decol 

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

FIM DO MUNDO

Acabei de ver uma foto retratando que está nevando até nas praias da Sicília, e, logo depois, vejo a carantonha de Donald Trump maltratando jornalistas - e, pior, sem reação dos demais presentes, com exceção da claque que o apoia -, e, então, penso: qual dos dois fatos será sinal do Armageddon?

Elisabeth Migliavacca

São Paulo 

*

A RELAÇÃO TRUMP-RÚSSIA

O senhor Donald Trump já deveria saber que, cedo ou tarde, esqueletos no armário e os podres aparecem. Sorry!

 

Sara May 

sara-may@bol.com.br

São Paulo

*

SEM JUÍZO

Os americanos terão quatro longos anos para frear o impulsivo presidente Donald Trump. É muito tempo, melhor o mundo se preparar...

Ricardo C. Siqueira 

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.