Fórum dos leitores

Maçã eva pode ser cultivada em GoiásGostaria de saber se a maçã eva pode ser plantada em Goiás, no município de Leopoldo de Bulhões, cuja altitude é de 1.050 metros. Em caso afirmativo, onde posso adquirir as mudas?Leovegildo RodriguesGoiânia (GO)É possível cultivar a maçã eva em Goiás, em altitudes próximas a mil metros, diz o agrônomo Roberto Hauagge, do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), onde a variedade foi desenvolvida. A eva, diz o agrônomo, tem baixa exigência em frio, é resistente a doenças e desenvolve-se bem em regiões com altitude a partir de 600 metros. Em áreas superiores a 1.100 metros de altitude, o crescimento é excepcional, conforme Hauagge. "A maçã eva pode ser cultivada na região desejada pelo leitor, desde que sejam adotadas as práticas adequadas." Entre as práticas necessárias, Hauagge destaca a correção do solo com calcário, pois a fruta é bastante exigente no quesito calagem; a desfolha e a quebra de dormência no início da brotação, e a irrigação a partir do início da florada, já que as plantas devem florescer em agosto, no auge da estação seca. "E sem esquecer que a maçã eva precisa de uma segunda variedade de macieira para polinizar e produzir frutos", afirma, sugerindo como segunda variedade a IPR Julieta. Em relação às mudas, Hauagge informa que elas são facilmente conseguidas em viveiros no Sul do País. No Viveiro e Floricultura Jardim Botânico, de Curitiba, tel. (0--41) 3356-2144, cada muda custa R$ 6,50, fora a taxa de entrega. Outra opção é o Viveiros Somacal, de Farroupilha (RS), tels. (0--54) 3261-5857 e (0--54) 9923-4070, que também comercializa mudas da variedade eva. Os dois viveiros fazem entregas em outros Estados e informam que terão mudas disponíveis apenas a partir de maio. O plantio é indicado para agosto e setembro. Iapar, tel. (0--43) 3376-2000. Vento em excesso prejudica pé de caféTenho um pé de café de dois anos, em um vaso grande, na sacada do apartamento. Ele está com frutos e pega todo o sol da tarde. Há seis meses, porém, as folhas aparecem queimadas e atrofiadas, principalmente nas bordas. Peço orientação.Carlos Eduardo de Alencarcarrie_white@hotmail.comO pesquisador do Instituto Agronômico (IAC-Apta), de Campinas (SP), Roberto Antonio Thomaziello, diz que é difícil dar um diagnóstico correto sem visualizar a planta, pois os sintomas descritos podem ter várias origens. "Com base nas informações dadas pelo leitor, porém, é provável que o cafeeiro, por estar localizado na sacada do apartamento, esteja muito exposto a ventos", diz o pesquisador. "Essa exposição provoca um atrito constante com a planta e esse atrito acaba ferindo folhas e ramos e favorecendo a entrada de uma doença, causada por bactéria, conhecida como mancha aureolada", explica Thomaziello. Segundo ele, essa bactéria penetra pelos bordos das folhas, deixando-os recortados e enegrecidos. "E, ao redor, fica uma coloração amarelada", acrescenta. A mancha aureolada pode, ainda, ocasionar a seca de ponteiros. A primeira recomendação do pesquisador é não expor tanto a planta à ação de ventos. A outra é fazer uma pulverização com fungicida à base de cobre, que deve, porém, ser receitado por um engenheiro agrônomo. "Mas a medida mais importante é mesmo proteger o cafeeiro do vento." IAC, tel. (0--19) 3241-5188. Maracujá isolado não produz frutosPlantei uma muda de maracujá doce que está crescendo muito bem com folhas verdes e saudáveis e bastante flores. Mas as flores estão caindo sem desenvolver frutas. O que devo fazer?Eva M. OltroggeSão Paulo (SP)Quando uma planta de maracujá está sozinha, ou ela não produz nenhum fruto ou produz muito pouco, por falta de outra com a qual possa realizar o cruzamento, explica a pesquisadora Laura Maria Molina Meletti, do Jardim Botânico do Instituto Agronômico (IAC-Apta), de Campinas (SP). "Um maracujazeiro nunca se autofecunda, isto é, não aceita pólen dele mesmo, então não consegue produzir frutos se for plantado isolado de outros pés de maracujá", diz Laura. Embora produza flores grandes, vistosas, completas e sadias, sem a fecundação das flores elas murcham e caem dois ou três dias depois. Para sanar este problema, ensina a pesquisadora, plante outro pé de maracujá doce nas proximidades. Se houver mamangavas quando os dois pés estiverem floridos, vai haver produção de frutos. "Caso elas não existam no local onde foram plantados os maracujás, será necessário realizar a polinização artificial, trocando pólen entre as flores de plantas diferentes, com a própria mão. Quanto mais pólen for colocado sobre uma flor, maior o tamanho e o peso do fruto resultante", afirma a pesquisadora. Contato, e-mail: lmmm@iac.sp.gov.br. Como tratar mudas de sansão-do-campoEstou plantando sansão-do-campo e algumas mudas, com 5 a 10 centímetros de altura, estão apresentando ramificações brancas que provocam entortamento da raiz e secamento das folhas. Como tratar essas mudas e prevenir o problema?Angélica Fonsecaangelfonseca@ymail.comGostaria de saber se o sansão-do-campo se adapta em Campos do Jordão (SP), onde o clima é mais frio. Em caso positivo, onde conseguir a planta?Cristina Coilcris@coil.com.brO pesquisador Alexander Silva de Resende, da Embrapa Agrobiologia, diz que os sintomas descritos pela leitora são mais comuns em plantas cultivadas em viveiro. "Normalmente, tais sintomas são causados por um substrato com muito esterco ou matéria orgânica e argila, o que acarreta um maior acúmulo de água nos recipientes e, consequentemente, favorece o desenvolvimento de fungos que atacam as raízes, causando sua podridão", explica. A recomendação é que sejam usados substratos misturados na proporção de 1:1:1 de areia, argila e esterco ou composto orgânico para a produção dessas mudas e adubação com fosfato de rocha ou termofosfato em proporção nunca superior a 3% do volume do substrato. "Recomendamos também a inoculação da semente com bactérias fixadoras de nitrogênio, prática barata e que auxilia no crescimento das plantas." Embrapa, tel. (0--21) 3441-1500.Com relação ao plantio em Campos do Jordão, Resende explica que a planta é nativa do Nordeste e está introduzida em quase todo País. "Ela resiste bem à seca e tem boa adaptação na mata atlântica. Por outro lado, não resiste a solos encharcados e a geadas." Para adquirir sementes e mudas, Resende indica o Cerca Viva Sansão-do-Campo, em Tatuí (SP). O quilo da semente custa R$ 250 (1 quilo planta 1.200 metros lineares) e cada muda custa R$ 0,20. Tel. (0--15) 3251-5380. No Sítio Rancho Alto, em Mogi-Mirim (SP), cada muda custa R$ 0,13. Segundo o proprietário do sítio, Antônio Aparecido Barbosa, não há restrição climática para o plantio em Campos do Jordão. "A planta só vai crescer mais devagar e há a vantagem de não precisar podá-la todo ano, mas a cada dois anos." Tel. (0--19) 9216-9238. No Sítio Aurora, em Vinhedo (SP), 100 gramas de sementes custam R$ 80 e a quantidade é suficiente para fazer 2.800 mudas. Tel. (0--19) 3876-3456.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.