Fotógrafo é acusado de atacar prostitutas em Goiás

Ele foi preso em flagrante após cortar o pescoço de uma garota de programa em um quarto de motel

Marília Assunção, Agência Estado

31 Março 2014 | 12h21

O fotógrafo da prefeitura de Senador Canedo, situada na Região Metropolitana de Goiânia, Leandro Alves, de 25 anos, foi preso neste domingo, 30, em flagrante, após cortar o pescoço de uma garota de programa. Ele estaria drogado em um motel de Aparecida de Goiânia, também na Região Metropolitana, e teria cortado o pescoço da prostituta com um caco de garrafa.

A vítima, uma mulher de 38 anos, disse que foi agredida porque se recusou a manter relações sexuais sem preservativo e também por que não quis consumir cocaína com o cliente, que ainda fazia uso de álcool junto com a droga. A mulher sofreu um corte profundo no pescoço.

A garota de programa foi socorrida por um amigo do próprio fotógrafo que estava em outro quarto do motel com outra prostituta. Os gritos teriam chamado a atenção e o amigo socorreu a mulher. Levada para um hospital, ela precisou de sutura no ferimento e não corre risco de morte. Leandro foi preso em flagrante.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Senador Canedo informou, nesta segunda-feira, 31, que o servidor seria exonerado ainda hoje do cargo. A prisão dele foi tratada com surpresa pelos colegas de trabalho, que alegaram uma convivência sem indícios da dependência de drogas ou de agressividade.

Estupro. Após a prisão do fotógrafo, a Polícia Civil foi procurada por outra garota de programa que reconheceu Leandro como autor também de um estupro quando ela se recusou a manter relações sem camisinha. Ela foi ouvida pelo delegado José Lindenor Chaves.

O suspeito vai responder pelo crime de tentativa de homicídio e estupro. A reportagem não conseguiu falar com o advogado dele, que não retornou ao recado gravado no celular.

     

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.