França sempre quis um G7 ampliado, diz ministra Lagarde

O presidente francês Nicolas Sarkozy sempre defendeu a ampliação do grupo que reúne atualmente as sete economias mais desenvolvidos do mundo (G7) para incluir grandes mercados emergentes, como o Brasil, disse a ministra de Finanças da França, Christine Lagarde, nesta segunda-feira. "Ele sempre foi o primeiro a dizer que o G7 não significa nada... se não se ampliar em relação ao seu formato tradicional, a não ser que se torne rapidamente um G13 ou G14", disse Lagarde em uma conferência com líderes empresariais do Brasil e da França. Mas Lagarde disse que o G20 ainda é um bom fórum para discussão da reforma do sistema financeiro global. Seus comentários foram dados após uma reunião de autoridades financeiras do G20 no Brasil durante o final de semana, quando discutiram meios para reformar o sistema financeiro internacional. Durante a reunião, o Brasil liderou o movimento de pressão para substituir o G7 por grupos maiores, que incluíssem economias avançadas e emergentes. Em um sinal de conflito potencial sobre quanto poder será cedido a nações em desenvolvimento, o presidente do banco central do Canadá disse que o G7 continua eficiente. A reunião de São Paulo foi considerada uma preparação para a conferência de líderes do G20 em Washington, nos Estados Unidos, dia 15 de novembro. (Reportagem de Anna Willard e Elzio Barreto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.