Francês repete 'fórmula' de Cielo em 2008 e bate brasileiro nos 50 m

Sem expectativas e pouco cotado, Florent Manaudou faz a melhor marca do ano na modalidade e leva o ouro

Daniel Gallas, BBC

03 de agosto de 2012 | 22h15

O francês Florent Manaudou chegou a Londres 2012 como Cesar Cielo em Pequim 2008: sem expectativas e pouco cotado. O nadador era mais conhecido por ser irmão mais novo da campeã olímpica Laure Manaudou e cunhado de Frédérick Bousquet, outro nadador francês que está em Londres mas não conseguiu vaga nas finais dos 50 metros livre.

O melhor tempo de Florent no ano na modalidade - 21s80 - foi obtido na noite anterior, na semifinal em que Cielo terminou em primeiro lugar. A distância entre a melhor marca do brasileiro e a do francês neste ano era de 42 centésimos - um intervalo grande para os parâmetros dos 50 metros livre, que é a prova mais rápida da natação.

Os quatro melhores colocados nas semifinais largaram nas raias centrais: Cesar Cielo, Cullen Jones, Anthony Ervin e Bruno Fratus.

Manaudou largou na raia sete, distante dos líderes. Ignorando o favoritismo dos seus rivais, e superou a todos com 21s34 - a melhor marca do ano de qualquer nadador no mundo. Cullen Jones ficou com a prata e Cesar Cielo foi bronze.

"Era minha meta estar na final, em qualquer raia. Eu sei que pode ser perturbador estar nas três raias centrais, e eu não estava. Talvez eu estava mais relaxado que eles", disse Manaudou após a prova.

"Ainda não caiu a ficha que nadei tão rápido", disse.

Cielo

Já o brasileiro Cesar Cielo nadou na final dos 50 metros um tempo pior do que o registrado na semifinal, no dia anterior. Na quinta, ele havia se classificado em primeiro lugar, junto com o americano Cullen Jones, com tempo de 21s54.

Na final de sexta-feira, ele terminou três centésimos mais lento - exatamente a diferença entre a medalha de bronze e prata, obtida na final pelo americano Cullen Jones.

"Essa medalha olímpica é importante para a minha carreira. Mas eu acho que poderia ter feito melhor. Parabéns para o francês que fez uma grande prova", disse Cielo ao final da prova.

Para obter o ouro, nem mesmo a melhor marca do brasileiro no ano teria sido suficiente. Em abril, Cielo nadou os 50m em 21s38 em prova no Rio de Janeiro. Até sexta-feira, a marca de Cielo era a melhor de qualquer nadador no ano.

"Estou me sentindo cansado é o quarto dia em sequência de competições. Na final eu era o único que tinha nadado os 100m até a final. E isso vai pesando, né? Eu não estava me sentindo muito bem mesmo e não saiu do jeito que eu queria."

Cielo fez um balanço positivo da natação brasileira - que conseguiu uma prata com Thiago Pereira (400 metros medley individual) além de seu bronze. Também foram duas finais de natação, novamente com Thiago Pereira (200 metros medley individual) e o próprio Cielo (100 metros livre).

Apesar das declarações, o brasileiro mostrou abatimento e chorou ao receber a medalha. Na entrevista coletiva organizada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), foi o único dos medalhistas que não compareceu. O COI não soube informar o motivo do não-comparecimento do brasileiro.

Florent

Mesmo com a melhor marca do ano, Florent Manaudou não conseguiu bater os recordes mundial -20s91 - e olímpico - 21s30 - ambos de Cielo, em 2009.

A marca do francês não está nem entre as dez melhores da história dos 50 metros, mas é o mais perto que um nadador chegou depois que foram banidos os trajes tecnológicos usados na natação até 2009. Após a prova, ele falou sobre a tranquilidade de nadar com menos pressões do que seus rivais.

"Meu técnico me disse que o importante na final não é estar na raia certa, e isso funcionou. O importante é ter o melhor tempo na final. É a isso que tudo se resume", disse.

"Eu cheguei nestas Olimpíadas com o sétimo melhor tempo do ano, eu sabia que eu conseguiria nadar mais rápido, e isso deu certo. Havia três favoritos - Cesar e dois americanos - e eu tinha esperança de pelo menos estar no pódio."

Florent também elogiou a irmã campeã e seus demais colegas de equipe de natação da França.

"Minha irmã me deu todo seu apoio neste sonho olímpico e nesta final ela disse que estava lá para mim. Ao falar comigo, ela me deu parabéns. Não houve muitas palavras, mas nos entendemos muito bem", disse.

"Para mim, tudo começou com minha irmã em 2004, quando ganhou os 400 metros livre. E depois teve Alain Bernard que foi campeão em Pequim e outros no revezamento e nos 50 metros. Agora somos uma grande nação na natação, e espero que isso continue".

"Eu realmente quero aproveitar o que conquistei hoje à noite", afirmou.

Bruno Fratus terminou a prova em quarto lugar, 44 centésimos atrás do líder. Sua marca de 21s63 foi a melhor de sua carreira, mas ainda assim o brasileiro saiu frustrado da água, mas já falando em planos para 2016. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.