Francesas vão trocar silicone

Em dezembro, o governo francês afirmou que cobriria os custos para remover todas as próteses Poly Implant Protheses (PIP) utilizadas por mulheres francesas.

O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2012 | 03h05

Estudos mostravam que os implantes apresentavam uma taxa de rompimento muito maior que a de outros produtos similares.

Em 2010, a venda e a utilização de implantes mamários PIP, exportados para inúmeras nações - entre elas o Brasil -, já haviam sido proibidas na França.

Descobriu-se que o fabricante utilizava nos implantes um gel de silicone diferente do declarado às autoridades sanitárias para obter a autorização de comercialização do produto. Esse gel não era autorizado para fins médicos. A empresa foi à falência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.