Francisco e Bento XVI têm reunião histórica

Pela primeira vez um papa com plenos poderes se encontra com um papa emérito

CIDADE DO VATICANO, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2013 | 02h03

O papa Francisco visitou ontem o papa emérito Bento XVI em Castel Gandolfo, a 30 quilômetros de Roma, onde ele está hospedado desde que deixou o mais alto posto da Igreja Católica. Foi a primeira vez na história do catolicismo que um papa com plenos poderes se reuniu com um papa emérito.

Francisco viajou de helicóptero até Castel Gandolfo em um voo de 15 minutos. De acordo com o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, os dois se cumprimentaram com "um abraço belíssimo", ainda no heliponto.

Depois, entraram em um carro - Francisco se sentou do lado direito, lugar tradicionalmente reservado para o papa, e Bento XVI, do esquerdo - e foram para o palácio apostólico do papa emérito, onde seguiram até uma capela para rezar.

O papa emérito ofereceu ao sucessor o lugar de honra, mas Francisco recusou, dizendo: "Somos irmãos". Os dois ajoelharam e rezaram no mesmo banco.

Bento XVI usava uma batina branca e Francisco, outra da mesma cor, mas com a mantelete e a faixa dos pontífices.

Presente. Após a oração, se reuniram privadamente por 45 minutos. O papa Francisco deu a Bento XVI uma lembrança da Nossa Senhora dos Humildes e afirmou: "Pensei no senhor e quis lhe dar um presente pelos muitos exemplos de humildade que nos deu durante seu pontificado". De acordo com as agências internacionais, Francisco intercalou "você" e "senhor" ao se dirigir a Bento XVI. Entre os temas da conversa estariam a nova evangelização e os casos de abuso sexual ocorridos na Igreja.

Depois, os papas almoçaram com os secretários Georg Gänswein, prefeito regional da casa Pontifícia, e Alfred Xuareb.

Em seguida, os dois foram até o heliponto, onde se despediram, e Francisco voltou ao Vaticano. Bento XVI ficará em Castel Gandolfo até a conclusão das obras do mosteiro no interior dos Jardins Vaticanos, onde viverá recluso. / REUTERS E EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.