Frango está mais caro

Setor avícola foi destaque em abril. Cotação da ave viva subiu 10% e cobriu custos de produção

O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2008 | 03h23

A recuperação dos preços do setor avícola foi um dos destaques do agronegócio em abril. Segundo os pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), as cotações do frango tiveram sustentação na alta de preço das carnes bovina e suína.O levantamento do Cepea mostra que em abril o frango vivo valorizou-se 10% no interior, ajudando a compensar os custos de produção. O milho, por exemplo, subiu cerca de 6% no mesmo período. Para o frango abatido resfriado, a alta ultrapassa também os 10%.Um aspecto importante é o de que os aumentos ocorrem mesmo com a elevação da disponibilidade interna. ''No primeiro trimestre de 2008, o volume de carne aumentou 11,4% em relação ao mesmo período de 2007.'' Os dados do Cepea mostram que em março deste ano a disponibilidade interna do produto chegou a 643.900 toneladas. ''Mesmo com a exportação crescendo 8%, de fevereiro a março, houve uma produção maior naquele mês, o que atingiu de maneira negativa as cotações dos primeiros dias de abril.'' Em março foram produzidas 926.500 toneladas de carne de frango, volume recorde em 2008.Os técnicos alertam que o setor deve ficar atento aos números de produção. Dados da Associação dos Produtores de Pintos de Corte (Apinco), referentes a março, confirmam crescimento do setor avícola para os próximos meses. Segundo o Cepea, em março a produção atingiu 441,1 milhões de cabeças de pintos de corte, volume 3% maior que o de fevereiro deste ano e 4,2% superior ao de março/2007.

Mais conteúdo sobre:
frangoagrícola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.