Fraude pode levar a novas demissões na Saúde em SP

O secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Giovanni Cerri, admitiu hoje a possibilidade de ocorrerem novas demissões na Secretaria em função das investigações sobre o esquema de fraudes que operava no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) e outros hospitais públicos do Estado. As denúncias já causaram a exoneração do diretor do CHS, Heitor Consani, preso na operação, e as saídas do secretário estadual de Esportes Jorge Pagura e do coordenador de Saúde do Estado, Ricardo Tardelli, citados nas investigações.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

28 Junho 2011 | 20h29

Em audiência na Assembleia Legislativa, Cerri disse que espera o relatório do Ministério Público Estadual para verificar a conduta de cada servidor envolvido nas investigações. O relatório será elaborado ao final do inquérito que apura as fraudes em plantões médicos e licitações no CHS.

Apesar da grande quantidade de depoimentos e documentos a serem analisados, os promotores e a Polícia Civil esperam encerrar a fase de apuração e enviar o inquérito à Justiça na segunda quinzena de julho. Deputados da oposição iniciaram a coleta de assinaturas para criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a situação dos hospitais públicos no Estado.

Mais conteúdo sobre:
fraudeSorocabademissõessaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.