Frio afeta doação de sangue em Campinas

A cidade de Campinas registrou na madrugada desta sexta-feira, 26, a temperatura mais baixa desde 1994, segundo as medições do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

RICARDO BRANDT, Agência Estado

26 de julho de 2013 | 18h18

No distrito de Barão Geraldo, a estação meteorológica do Cepagri registrou 5,7ºC, por volta das 2h da madrugada. Desde 1988, quando começou fazer as medições, a temperatura mais baixa foi registrada em 1994, quando os termômetros chegaram a 2,0ºC.

No fim de semana, o sol deve prevalecer, sem previsão de chuvas. Mas a massa de ar gelado permanece e deve fazer frio. Os termômetros devem variar de 10ºC a 18ºC.

Reflexo negativo

O Hemocentro do Hospital das Clínicas (HC), da Unicamp, teve queda nas doações de sangue na última semana, com redução expressiva nos estoques, em consequência das baixas temperaturas.

Os estoques de sangue estão 20% abaixo da quantidade ideal. Segundo a Unicamp, o maior problema são com as doações de sangue tipo RH negativo (A,B, AB e O). Com a redução, é alto o risco de cancelamento de cirurgias em hospitais atendidos pelo hemocentro. Ficam afetados também os atendimentos de urgência e emergência da região.

Mais conteúdo sobre:
ClimafrioCampinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.