Frio deve elevar oferta de bois para abate

Clima favorece lavouras em fase de colheita, mas pode atrasar desenvolvimento da próxima safra

Fábio Marin, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2009 | 03h00

Uma massa de ar polar de grandes proporções chegou ao Brasil na semana passada e derrubou a temperatura em todo o País. Em São Paulo, a temperatura foi a menor registrada no ano, chegando a 6 graus na quarta-feira, em praticamente todo o Estado. Como estes valores foram medidos em estações meteorológicas, estima-se que na relva a temperatura tenha se aproximado de zero. Apesar disso, não ocorreram geadas capazes de prejudicar as lavouras em fase de crescimento e produção.

Nos canaviais, a seca contribui para elevar a concentração de sacarose no colmo e o rendimento industrial, o que pode favorecer as lavouras com colheita prevista para este mês. Nas áreas que serão colhidas apenas na próxima safra, o frio atrasa o desenvolvimento, mas não compromete a produtividade.

A chegada do frio agitou o mercado do boi, com a possibilidade de aumento na oferta de animais no mercado. Como a previsão de geada não se concretizou, a oferta variou pouco, e houve leve queda na cotação da arroba do boi.

A expectativa também foi grande para o mercado do café por causa do risco de geada. Apesar de não haver danos generalizados nos cafezais do Estado, o frio já foi suficiente para diminuir a pressão de baixa sobre os preços do café.

Nas lavouras de milho safrinha que ficam nas baixadas de Itapeva, Capão Bonito, Cândido Mota, Assis e Florínea, a geada reduziu ainda mais a expectativa de produtividade, já que a seca de abril e maio havia afetado o desenvolvimento das lavouras.

SAFRA DE INVERNO

A despeito do frio, a colheita da mandioca foi retomada em ritmo forte após os atrasos registrados na semana passada por causa da chuva. O aumento no volume de raiz oferecido no mercado, entretanto, baixou os preços do produto.

A queda na temperatura também esfriou o mercado da laranja in natura, diminuindo a comercialização da tangerina poncã, que vem sendo colhida com boa eficiência nos pomares de Getulina e Marília.

O tempo não afetou a colheita do morango em Atibaia, Jarinu, Monte Alegre do Sul e Mogi das Cruzes, onde os produtores aproveitam os bons preços nesta safra.

*Fábio Marin é pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária. Para mais informações sobre tempo e clima, acesse www.agritempo.gov.br

Mais conteúdo sobre:
Agrícolatempoabateboi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.