Frio mata mais 33 pessoas na Europa; dique se rompe na Bulgária

As baixas temperaturas na Europa mataram mais 33 pessoas nesta segunda-feira e o derretimento da neve provocou o rompimento de uma barragem, inundando um vilarejo inteiro na Bulgária.

IRINA IVANOVA, REUTERS

06 de fevereiro de 2012 | 14h17

O fornecimento de gás da Rússia para a União Europeia melhorou no fim de semana, mas ainda não foi normalizado, informou a Comissão Europeia. A Itália convocou um comitê de crise para lidar com o que chamou de deficiência crítica de gás russo.

A barragem rompeu-se e inundou o vilarejo no sul da Bulgária depois de uma chuva forte e do degelo. Quatro pessoas morreram afogadas e mais de 50 foram retiradas da região, informou o Ministério do Interior. Outras quatro pessoas morreram quando os carros em que estavam foram arrastados pelas águas.

"Há casas derrubadas e pessoas precisando de socorro", disse o ministério em um comunicado. A Bulgária advertiu aos países vizinhos Grécia e Turquia que outras duas represas deverão transbordar ainda nesta segunda-feira.

A onda de frio já causou a morte de centenas de pessoas na Europa.

Nove pessoas morreram nas últimas 24 horas na Polônia, elevando o número total de mortos desde o fim de janeiro para 62 no país. As temperaturas caíram para menos 24 graus Celsius à noite em partes da região nordeste.

Na região de Dalmatia, na Croácia, mais de 100 vilarejos foram isolados pela neve na costa adriática, informou o centro de serviço de emergência, e havia previsão para mais neve.

As equipes de resgate chegaram a alguns vilarejos da Dalmatia no domingo.

Em um deles, uma mulher havia dado à luz na própria casa com a ajuda de um vizinho, enquanto uma parteira da cidade vizinha lhes passava as instruções por telefone.

"A menina está bem e é linda. Provavelmente eu lhe darei o nome de Branca de Neve, dadas as circunstâncias", disse a mãe, Marta Glavota, ao site de notícias 24sata.

Dez pessoas morreram até agora na Sérvia. Montenegro registrou sua segunda morte e a Croácia informou que quatro pessoas morreram.

Na Sérvia, onde 11 mil pessoas permanecem isoladas e foi declarado estado de emergência, a previsão é de que a temperatura permaneça abaixo de zero até meados de fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
EUROPACLIMAFRIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.