Frutíferas: tratamento contra fungos

Até o início de julho pode-se aplicar calda sulfocálcica em plantas de clima temperado, principalmente videiras

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2008 | 01h49

Quem cultiva frutíferas de clima temperado pode aproveitar esta época - entre o fim de junho e o início de julho - para fazer o tratamento de inverno das plantas, prática indispensável para o controle de pragas e doenças. "O tratamento nesta época é indicado, por exemplo, para a região produtora de Jundiaí (SP)", diz o especialista em manejo de frutas temperadas José Luiz Hernandes, do Instituto Agronômico (IAC-Apta), de Campinas (SP).Ele explica que agora, no inverno, as plantas encontram-se no período de completa dormência, e a planta vegeta pouco, o que torna o tratamento mais eficiente, sem prejudicar o pomar. "Pelos bons resultados que proporciona, o tratamento deve fazer parte do calendário de todo fruticultor, principalmente do viticultor." Além da uva, pêssego, nectarina, ameixa, caqui e noz pecã também podem ser tratadas.TRATAMENTO UNIFORMEO tratamento consiste em pulverizar as plantas com calda sulfocálcica, até o "ponto de escorrimento", para que a calda atinja uniformemente todos os troncos e ramos que ficaram após a poda. Isso elimina esporos de fungos causadores de doenças como antracnose, míldio, mancha das folhas e ferrugem, além de acabar com cochonilhas e ovos de insetos. "O objetivo é retardar o início do ataque desses organismos durante o ciclo vegetativo das fruteiras", diz o pesquisador. Segundo ele, a calda sulfocálcica tem baixo custo, é menos tóxica e menos poluente e pode ser preparada na própria propriedade ou adquirida em lojas agropecuárias.A solução pulverizada é feita à base de enxofre e cal virgem (Veja receita no box), e resulta em um "polissulfeto de cálcio", substância cáustica de uso fitossanitário. Para ser eficiente, a calda deve ser utilizada em concentração de 10%, ou seja, para preparar 10 litros de solução deve-se adicionar 1 litro de calda em 9 litros de água. "É recomendável também a adição de espalhante adesivo, na proporção de 20 mililitros para cada 100 litros de solução já diluída."Conforme o tamanho da área, a calda pode ser aplicada com pulverizadores costais, manuais ou motorizados, tanques ou turbinas, com bicos cônicos. O volume médio aplicado é de mil litros/hectare. "Para se ter idéia, 500 litros da cada diluída são suficientes para tratar perto de 2.500 pés de uva niagara em espaldeira."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.