Fumaça tóxica força retirada de famílias de cidade de SC

Um incêndio de grandes proporções consome desde as 23h desta terça-feira, 24, uma carga de fertilizante em um armazém da empresa Global Logística em um terminal marítimo, na BR-280, em São Francisco do Sul, cidade que fica 190 quilômetros da capital catarinense, Florianópolis.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agência Estado

25 de setembro de 2013 | 11h21

Equipes do Corpo de Bombeiros Voluntários de São Francisco do Sul, da Defesa Civil e bombeiros de Joinville, Barra do Sul e Araquari do Norte trabalham na tentativa de eliminar o incêndio, mas sem sucesso.

Segundo informou o Corpo de Bombeiros ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, por telefone, o que mais preocupa as autoridades é a fumaça altamente tóxica que se levanta da queima de uma carga de nitrato de potássio, produto usado na fabricação de fertilizantes de alto teor tóxico.

A maior dificuldade é que este tipo de incêndio só pode ser combatido com um pó químico que os bombeiros locais não têm à disposição. O Corpo de Bombeiros mais próximo de São Francisco do Sul que possui tal produto fica em Itajaí, cidade a mais 100 quilômetros do local do incêndio. Até as 10h30, os bombeiros de Itajaí ainda não tinham conseguido chegar ao local.

As autoridades estão orientando as famílias a deixarem São Francisco do Sul em direção a outras cidades em função do risco que a fumaça tóxica oferece à saúde. Neste momento, a fumaça está sendo empurrada pelo vento em direção ao mar. Mas, segundo informou a Capitania dos Portos aos bombeiros, à tarde o vento deve mudar de direção por força da maré e levar a fumaça em direção à cidade de São Francisco.

Se a conversão do vento for mesmo confirmada, os moradores terão que deixar a cidade em direção a Joinville. O efetivo dos bombeiros de São Francisco do Sul é composto por 60 homens, dos quais 40 estão empenhados no combate ao incêndio.

Tudo o que sabemos sobre:
incêndiofumaça tóxicaSC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.