Funcionária do Ciretran é presa suspeita de corrupção

A Polícia Civil em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, prendeu, sexta-feira, uma funcionária da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) e seu marido, suspeitos de usar documentos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para liberar veículos em situação irregular.

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

30 de novembro de 2009 | 17h10

O delegado Amarildo Antunes, da 6ª Subdivisão Policial de Foz, não foi encontrado hoje. No dia da prisão, ele afirmou que a polícia foi procurada por um rapaz que teve apreendida sua motocicleta, que estava em situação irregular. O dono da moto disse que, quando foi à Ciretran buscar orientações para liberá-la, a funcionária Fabiana Branco de Camargo, de 29 anos, teria colocado vários empecilhos para o processo. No entanto, tão logo saiu do local, um homem procurou-o, oferecendo-se para apressar o serviço se recebesse R$ 500,00.

"Orientamos a vítima para que aceitasse a oferta e negociasse o pagamento em local pré-determinado, para que pudéssemos acompanhar e efetuar as prisões", disse o delegado em nota da Secretaria da Segurança Pública do Paraná. Ele seguiu a orientação e Gerson Brambilla, de 32 anos, foi preso assim que aceitou R$ 220,00 para apressar o processo de liberação da moto. Os policiais foram, então, à Ciretran para interrogar Fabiana, que havia atendido o denunciante. Levada para a delegacia, constatou-se que se tratava de marido e mulher.

Na bolsa que ela portava e no carro de seu marido, foram encontrados documentos de uso restrito do Detran. Eles foram autuados em flagrante por corrupção ativa e passiva, falsificação de documento público e uso de documentos falsos. A polícia está investigando, agora, todos os processos em que Fabiana atuou para verificar se há outras fraudes. As investigações da polícia têm apoio da Coordenadoria de Inspeção e Auditagem do Detran. Segundo a assessoria do Detran, a funcionária também responderá a processo administrativo e pode ser exonerada.

Tudo o que sabemos sobre:
CiretranDetrantrânsitocorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.