Funcionário de escola morre baleado ao sair do banco

Um funcionário do colégio Sion morreu ao ser baleado na frente da escola quando saía de uma agência bancária na manhã desta segunda-feira, 3, em Higienópolis, zona nobre da região central de São Paulo. O crime aconteceu por volta das 11h20, segundo relatos de vizinhos e da PM. De acordo com a assessoria do colégio, Eduardo Paiva, de 39 anos, levou um tiro na cabeça e chegou a ser levado com vida para o pronto-socorro da Santa Casa, mas não resistiu ao ferimento.

LUCIANO BOTTTINI FILHO E FELIPE TAU, Agência Estado

03 de junho de 2013 | 16h04

Ainda segundo a assessoria do Sion, o funcionário atuava no setor de manutenção e não estava a trabalho quando foi sacar dinheiro no banco. Outro funcionário ouviu o disparo e encontrou a vítima caída no chão. O colégio informou que esta segunda-feira não é dia de pagamento e que não havia crianças na porta no momento da ocorrência - as turmas da manhã saem às 12h. As aulas foram mantidas.

Um zelador de um condomínio na frente do local do crime, na Avenida Higienópolis , 846, disse que dois homens abordaram a vítima em uma moto e deram a ordem para entregar o dinheiro. O funcionário teria dito "pelo amor de Deus, não atira", mas um dos dois homens sacou a arma e o baleou no rosto, contou a testemunha, que não foi identificada por motivo de segurança. "Eu vi um homem atirando, pulando em cima da moto, e saindo", disse o zelador. "Nós paramos o trânsito para ele não ser atropelado. Corremos e vimos que ele não falava, não tinha pulso e sangrava muito."

De acordo com o zelador, a via foi interditada e uma das saídas da escola foi fechada para que os alunos não vissem a cena do crime. A testemunha afirma que não havia crianças no local no momento dos tiros, mas outras pessoas que trabalhavam no colégio ficaram alarmadas com a situação. A perícia técnica esteve na avenida e já liberou o trânsito. Imagens do circuito de segurança do Sion foram recolhidas pela polícia. Não foi confirmado se elas flagraram o crime. O caso foi encaminhado para o 77º DP (Santa Cecília).

Tudo o que sabemos sobre:
violênciacolégioSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.