Funcionários da Uerj fazem protesto na praia do Leblon

Cerca de 40 funcionários da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), em greve desde o dia 5 de junho, fizeram um protesto na manhã deste domingo na praia do Leblon, perto do prédio onde mora o governador Sérgio Cabral. Os servidores levaram faixas da campanha "Negocia, Cabral!", pela qual requerem reajuste salarial de 22%, recuperação de perdas acumuladas desde 2001, reforma nos planos de carreira e melhorias no Hospital Universitário Pedro Ernesto e no campus do Maracanã, entre outras demandas antigas.

AE, Agência Estado

22 de julho de 2012 | 16h05

Eram professores, funcionários administrativos e também alunos da Uerj. Eles reclamam que o governo não aceita recebê-los, tampouco apresenta contrapropostas. A concentração foi às 10 horas e os manifestantes andaram pela pista que é fechada ao trânsito aos domingos. Soltaram balões de gás e distribuíram panfletos à população.

Policiais militares que faziam o policiamento na orla, além de um efetivo do Batalhão de Choque, se deslocaram para acompanhar o protesto, declaradamente pacífico, o que irritou os manifestantes. A PM já estava avisada, uma vez que os organizadores da campanha usam redes sociais na internet para propagá-la.

O grupo, convocado pela Associação de Docentes da Uerj, tentou chegar à porta do prédio de Cabral, na Rua Aristides Espínola, mas foi retido. A assessoria de imprensa do governador informou à tarde que ele não se pronunciaria sobre o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
Uerjmanifestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.