Funcionários da Unesp fazem protesto no centro de SP

Funcionários da Universidade Estadual Paulista protestam na tarde desta quarta-feira, 3, em frente ao prédio da Reitoria, na Rua Quirino de Andrade, região central de São Paulo. Em greve há mais de um mês, eles reivindicam reajuste salarial. Segundo levantamento da Polícia Militar, cerca de 50 manifestantes ocupam totalmente a via.

GABRIELA VIEIRA, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 16h05

Uma comissão dos funcionários foi autorizada a entrar no prédio para apresentar a pauta de propostas da categoria. Até as 15h30, o ato era pacífico, segundo a PM. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) desvia o trânsito no local.

Iniciada no dia 28 de maio, a greve atinge 14 dos 24 campus da Unesp. Em algumas faculdades, há adesão de alunos e professores ao movimento. Na última quinta-feira, dia 27, cerca de 100 estudantes, também em manifestação, ocuparam a reitoria. Os alunos só deixaram o prédio na madrugada seguinte, após reunião que atendeu algumas das reivindicações.

Feira da Madrugada

Comerciantes da Feirinha da Madrugada também fizeram uma nova manifestação nesta quarta. Eles protestam contra o fechamento e o atraso nas obras de reforma no espaço onde acontece a feira, no Brás, região central da capital paulista. Os manifestantes fecharam o cruzamento entre a Rua São Caetano e a Avenida do Estado logo no início da tarde. Por volta das 14h, após negociação com os PMs, o grupo liberou a via.

Só na última semana os comerciantes fizeram três protestos, sempre com o bloqueio de ruas da região. Após fechamento da Feirinha, em 29 de maio, a Prefeitura deu um prazo de 60 dias para o término das obras e reabertura do comércio, mas os manifestantes alegam que a reforma - orçada em R$ 4 milhões e de responsabilidade do governo municipal - ainda não começou.

Mais conteúdo sobre:
protestosSPUnespFeirinha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.