Funcionários de hospitais em São Paulo fazem greve

Trabalhadores tentam negociar um aumento salarial com o Estado desde o último dia 23 de março

Gheisa Lessa, estadão.com.br

17 Abril 2012 | 14h59

SÃO PAULO - Funcionários públicos da área da saúde em São Paulo fazem uma paralisação, nesta terça-feira, 17, em cinco hospitais da rede estadual, segundo informou a Secretaria da Saúde. O SindSaúde-SP diz que os trabalhadores tentam negociar um aumento salarial com o Estado desde o último dia 23 de março.

Segundo a Secretaria, todas as unidades com paralisações mantêm atendimentos prioritários e urgentes. Já o sindicato afirma que cerca de 40 unidades hospitalares de todo o Estado estão em greve por tempo indeterminado. A pasta informa que, em 2011, o governo do Estado aprovou um plano de cargos e salários que teria resultado em aumentos de até 40% para a categoria, retroativos ao mês de julho daquele ano. Conforme o SindSaúde, a manifestação reivindica reajustes salariais referentes ao ano de 2012, que teve data-base em 1º de março.

A Secretaria da Saúde alerta para o fato de que a pasta mantém diálogo com o SindSaúde-SP em relação à nova pauta apresentada e espera que os servidores não interrompam o atendimento, para que a população que usa o Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado não seja prejudicada.

De acordo com o SindSaúde, estão em greve na capital, o CAISM Água Funda; CAPS Brasilândia; CAPS Itapeva; Conjunto Hospitalar do Mandaqui; CRT Aids; CS2 Oratório; DPME; Hospital Guaianases; Hospital Brigadeiro; Hospital Cachoeirinha; Hospital Darcy Vargas; Hospital Heliópolis; Hospital Ipiranga; Hospital Penteado; Hospital Taipas; IAMSPE; Instituto Emilio Ribas; NGA 8; Pam Lapa; Pam Maria Zélia; UBS Vila Anastácio; UBS Jd. Vera Cruz; UBS Jd. Tietê.

Na Grande São Paulo e no Interior, estão sem atendimento o Ambulatório Saúde Mental/Presidente Prudente; CEAMA Campinas; Centro Reabilitação Casa Branca; DRS 7 Campinas; DRS Franca; DRS Santo André; Hospital Arnaldo P. Cavalcanti; Hospital Geral de Promissão; Hospital Clemente Ferreira; Hospital das Clínicas de Suzano; Hospital Estadual de Presidente Prudente; Hospital Geral de Ferraz; Hospital Guilherme Álvaro; Hospital Padre Bento; Hospital Regional de Assis; Hospital Regional Mirandópolis; Hospital Regional de Osasco; Sucen/Assis; Sucen/Ourinhos.

Mais conteúdo sobre:
grevehospitaisSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.