Funcionários recusam proposta da USP e mantêm greve

Os funcionários da Universidade de São Paulo (USP) recusaram na tarde de hoje a proposta apresentada pela reitoria e decidiram manter a greve, iniciada no dia 5 de maio. Um nova reunião está prevista para acontecer às 9 horas de amanhã. O local do encontro ainda não foi definido.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

21 de junho de 2010 | 20h12

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da universidade (Sintusp), os funcionários reiteraram as exigências de 5% de reajuste salarial e do pagamento dos dias parados dos grevistas. A reitoria da USP propôs a volta dos funcionários ao trabalho para poder analisar, em um prazo de 48 horas, o aumento salarial. O pagamento dos dias parados seria feito em até quatro dias após o término da paralisação.

O Sintusp estima que 60% dos cerca de 15 mil funcionários aderiram à greve.

Tudo o que sabemos sobre:
grevefuncionáriosUSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.