Funcionários terceirizados da USP entram em greve

Cerca de 140 funcionários de uma empresa terceirizada que presta serviços na área de segurança do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP) entraram em greve as 7 horas de hoje.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

28 Junho 2011 | 13h29

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), desde dezembro de 2010 a empresa tem pago salários menores, cerca de 60% do valor das férias e o adicional de insalubridade não é pago há três anos. Além disso, os funcionários reclamam que o convênio médico está bloqueado. Em nota, o sindicato destacou que os trabalhadores que se queixam da situação são ameaçados de demissão.

A greve foi decidida ontem. A empresa terceirizada, representantes da administração do hospital e da reitoria da USP se comprometeram a regularizar a situação em dois dias, mas os trabalhadores continuarão em greve até a normalização dos pagamentos. O Sintusp disse que mantém 30% dos trabalhadores de plantão conforme exigido por lei.

Mais conteúdo sobre:
USP greve terceirizados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.