Fundação debate reforma e proteção de obras de Niemeyer

Netos e bisnetos de Oscar Niemeyer querem restaurar a Casa das Canoas, construída há 60 anos pelo arquiteto para ser a residência da família. Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o imóvel foi fechado à visitação porque precisa de obras de infraestrutura. A intenção é transformá-lo numa espécie de museu, com exposição multimídia, informou Carlos Ricardo Niemeyer, diretor de licenciamento da Fundação Niemeyer, que detém os direitos sobre as obras do arquiteto.

CLARISSA THOMÉ, Agência Estado

07 Dezembro 2012 | 17h57

Carlos Ricardo informou que a diretoria da fundação ainda vai se reunir para fazer o inventário dos projetos em andamento, definir como viabilizar a reforma da Casa das Canoas e debater como se dará a proteção das obras já concluídas e dos projetos de Niemeyer, que ainda não saíram do papel.

"Oscar tinha um processo de criação muito rápido e irregular. Trabalhava com diferentes colaboradores. Vamos nos reunir para saber o que está sendo feito e como será de agora em diante. A vitalidade dele se devia muito à vontade de trabalhar. Nunca se discutiu o que seria feito quando ele morresse. Seria um desrespeito", relatou.

A fundação Niemeyer foi criada em 1988. A primeira mulher, Annita Baldo, e a única filha, Anna Maria, transferiram os direitos sobre todas as obras para que fossem administrados pela instituição. Hoje, é presidida pelo ex-senador Marco Maciel e tem como diretora executiva Ana Lúcia, uma das netas de Niemeyer e mãe de Carlos Ricardo.

Uma das missões da fundação será cuidar do tombamento das obras relevantes de Niemeyer, para garantir que não sejam descaracterizadas. "Oscar se preocupava muito com a preservação e defendia não só o tombamento do imóvel, como dos espaços vazios. A concepção da arquitetura também leva em conta esses espaços", declarou o bisneto do arquiteto.

A ideia é que a fundação supervisione a execução de projetos deixados por Niemeyer e para reformas. Escritórios que já atuavam com o arquiteto devem assumir a função de consultoria nessas obras. "A fundação vai criar um mecanismo para essa supervisão. A forma como vai acontecer ainda não está resolvida", afirmou Ricardo.

Para a família, é importante que projetos recentes de Niemeyer sejam concluídos, como a Torre Panorâmica do Caminho Niemeyer, em Niterói, e o centro de visitantes da Floresta da Tijuca, na zona norte do Rio. Ainda não foi decidido se continuará em funcionamento o escritório do arquiteto, na Avenida Atlântica, de frente para a praia de Copacabana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.