Fundação Gates destina US$ 83,5 milhões contra a malária

A Fundação Bill & Melinda Gates reservou US$ 83,5 milhões para projetos que ampliem o controle e a pesquisa da malária, uma doença que causa mais de um milhão demortes por ano, informou na segunda-feira a entidade.O objetivo das subvenções é aumentar o acesso a mosquiteiros e ao tratamento da doença, assim como agilizar a pesquisa sobre vacinas e outros métodos de prevenção."A cada dia, milhares de mães vêem seus filhos morrerem de uma doença que nós podemos prevenir há décadas", disse Melinda Gates, co-presidente da fundação e mulher do fundador da Microsoft, Bill Gates."Os estragos da malária são uma atrocidade moral, que nãopermitiríamos aqui nos Estados Unidos e não podemos permitir em nenhum outro lugar", acrescentou num comunicado.Melinda Gates participará na quinta-feira, 14, de uma cúpula sobre a malária, na Casa Branca. A reunião terá a presença do presidente dos EUA, George W. Bush, e sua mulher, Laura, entre outros 250 líderes políticos, cientistas e ativistas. Eles debaterão os esforços públicos e privados necessários para combater a doença em todo o mundo.Melinda Gates pedirá uma nova estratégia global para lutar contra a malária e mais recursos para controlar a doença e ampliar a pesquisa sobre ela.Distribuição dos recursosDo total de fundos anunciados, US$ 29 milhões servirão para desenvolver uma rede de cinco países africanos comprometidos na luta contra a malária e a promover a cooperação entre países em desenvolvimento, doadores e entidades públicas e privadas.Mais US$ 33 milhões serão para a pesquisa de uma vacina contra a doença e a outros projetos na mesma linha. Outros US$ 5 milhões vão para programas de tratamento preventivo para crianças.Aproximadamente US$ 10 milhões se destinam a avaliar os exames existentes para diagnosticar a malária e US$ 7,1 milhões ajudarão a aumentar a assistência técnica a programas de malária na África do Sul e a outras atividades.Além das subvenções anunciadas na segunda-feira, a Fundação Gates destinou até agora US$ 765,8 milhões à luta contra a malária e US$ 650 milhões ao Fundo Global para combate à Aids, Tuberculose e Malária, explicou a entidade.

Agencia Estado,

12 de dezembro de 2006 | 00h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.