Fura-Fila vira abrigo de moradores de rua em SP

Três anos após a inauguração do Expresso Tiradentes, a parte inferior da via elevada também conhecida como Fura-Fila se tornou ponto de descarte irregular de lixo e entulho e abrigo de moradores de rua. O problema ocorre principalmente nas Avenidas das Juntas Provisórias e do Estado. Comerciantes e vizinhos do Ipiranga, na zona sul, e do Cambuci, na região central, reclamam da degradação.

AE, Agência Estado

16 de outubro de 2010 | 11h00

Pelo menos sete núcleos de moradores de rua foram montados nos 174 pilares que dão sustentação ao elevado em seus 12 km, que ligam o Sacomã, na zona sul, ao centro. Até três moradores dividem um mesmo barraco improvisado no apertado espaço entre a Avenida do Estado e o Rio Tamanduateí. Ao longo das vias, são encontrados lixo, móveis abandonados e material de construção.

Um dos moradores de rua, Ronaldo Souza, de 26 anos, há quatro meses embaixo do Fura-Fila, diz que o local tem inconvenientes, como a avenida, perigosa por conta de seu movimento, a fumaça e o barulho. No entanto, uma das vantagens é o fato de "não ser incomodado, pois a área não é nobre".

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, visita realizada no último mês encontrou 12 pessoas em situação de rua nas duas avenidas. Uma aceitou tratamento médico e voltou para a casa de um familiar. As outras recusaram-se a ir a um centro de acolhida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Fura-Filaabrigomorador de ruaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.