Fuvest realiza neste domingo a segunda fase do vestibular

Mais de 38 mil aprovados na 1ª fase passam pelas provas de português e redação, que tiveram início às 13 horas

Da Redação - estadao.com.br ,

04 Janeiro 2009 | 13h36

Para os 38.606 candidatos aprovados na primeira fase do vestibular da Fuvest, a maratona de provas recomeçou neste domingo, 4, com a avaliação de português e redação. Como a prova foi elaborada antes da regulamentação do Acordo Ortográfico, o texto das questões ainda respeita as normas antigas. As provas da 2ª fase vão até quinta-feira, dia 8 de janeiro.   Os portões abriram às 12h30 e a prova começou às 13 horas. Hoje, os candidatos têm quatro horas para concluir a avaliação. Nos outros dias, são três horas. Os candidatos só poderão deixar o local da prova a partir das 15 horas.   Nesta etapa, os candidatos passam por até quatro provas com questões expositivas relacionadas ao curso escolhido, além de uma redação. Neste domingo, ocorre a prova de português. Na segunda, 5, as de história e química. Terça, 6, é dia das de geografia e biologia. A de física ocorre na quarta, 7, e a de matemática, na quinta, 8.   A partir do dia 6, ocorrem os testes específicos, para áreas como música e arquitetura.   Foram inscritas 138.242 pessoas, um pouco abaixo do número do ano passado. A Fuvest seleciona alunos para os cursos da Universidade de São Paulo, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e Academia de Polícia Militar do Barro Branco, num total de 10.707 vagas.   O vestibular será realizado em 41 escolas do Estado - 19 na região metropolitana e 22 no interior. Todas as informações estão disponíveis no site www.fuvest.br. Para a prova, o candidato precisa levar documento de identidade, lápis, caneta e borracha. Está liberado entrar na sala com água e lanche. O uso de celular, calculadora e outros equipamentos eletrônicos é proibido.

Mais conteúdo sobre:
Fuvest

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.