Galileo Educacional diz que recorerrá contra

A Galileo Educacional, instituição mantenedora da Universidade Gama Filho e da UniverCidade, manifestou-se nesta segunda-feira, 13, apenas por meio de uma nota sobre o descredenciamento das duas instituições de ensino superior pelo Ministério da Educação (MEC). A entidade classificou a decisão do MEC como "injusta e arbitrária", e afirmou que recorrerá.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

13 de janeiro de 2014 | 21h13

"Trata-se de uma decisão injusta e arbitrária, que leva o caos a duas das mais tradicionais e respeitadas instituições de ensino superior do Rio. A Galileo Educacional já havia apresentado um amplo projeto de reestruturação junto ao MEC, contemplando a retomada das atividades acadêmicas e regularização dos salários de professores e funcionários. O patrimônio imobiliário do grupo é suficiente para cobrir os passivos financeiro, fiscal e trabalhista das duas instituições. A liquidação destes passivos vinha sendo coberta com a emissão de debêntures", afirma a nota.

"O descredenciamento põe em risco o emprego de 1.600 professores e cerca de mil funcionários administrativos, além de colocar em risco o futuro de milhares de estudantes", diz o comunicado. "A direção do grupo vai recorrer da decisão junto ao próprio MEC, além de acionar as instâncias judiciais cabíveis", conclui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.