Gangue invade casas para tomar banho em piscinas aquecidas

Polícia no norte da Grã-Bretanha investiga ladrões que usam piscinas antes de roubar pertences das vítimas.

BBC Brasil, BBC

16 de dezembro de 2010 | 08h51

Bandidos costumam 'se refrescar' na água antes de roubar casas

A polícia de Lancashire, no norte da Inglaterra, está procurando uma gangue de arrombadores que ataca casas com piscinas aquecidas, nas quais toma banho antes de roubar.

A "gangue da piscina aquecida", como o grupo foi apelidado, já atacou pelo menos quatro vezes nas redondezas do vilarejo de Oswaldtwistle, a 45 quilômetros de Manchester.

Segundo a imprensa britânica, depois de usar a piscina, os ladrões deixam suas roupas íntimas molhadas no jardim e arrombam as casas para roubar os pertences das vítimas.

Os roubos já somaram milhares de reais em prejuízos. Em uma ocasião, a gangue levou 3,5 mil libras esterlinas (quase R$ 10 mil) da residência de Ashley e Cherie Deakin, em Oswaldtwistle.

Os bandidos levaram pertences como uma TV de plasma de 42 polegadas, um vídeogame Nintendo Wii, telefones celulares, laptop e dinheiro.

Cherie Deakin disse que o que mais chocou a família foi o banho dos ladrões na piscina aquecida que o casal comprou para comemorar os seus 40 anos de casamento no meio da madrugada.

"Estamos chocados com a cara-de-pau deles. É tão estranho alguém invadir a nossa casa para usar a piscina aquecida. É bizarro", afirmou a mãe de família, de acordo com o jornal local "Lancashire Telegraph".

"Talvez essas pessoas achem isso muito eletrizante. Algumas pessoas saltam de paraquedas, talvez outras invadam os jardins para usar as piscinas aquecidas alheias."

A polícia confirmou que está investigando "atividades incomuns nos jardins de casas relacionados a piscinas aquecidas", mas disse que não prendeu nenhum suspeito até agora.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.