Gato desaparecido é encontrado a 3,8 mil km de casa

Animal havia sumido três anos antes de ilha australiana e acabou no nordeste do país

BBC Brasil, BBC

16 de setembro de 2009 | 12h36

O gato Clyde, que estava desaparecido havia três anos de sua casa, na ilha australiana da Tasmânia, finalmente reapareceu, a 3,8 mil quilômetros de distância, em Queensland.

A dona já haviam perdido as esperanças de reencontrá-lo quando foi contactada por uma veterinária, que havia descoberto que o gato tinha um microchip com informações sobre ela.

Ainda não se sabe exatamente o que aconteceu com Clyde e como ele foi parar em Queensland. A única informação confirmada é que lá ele foi acolhido por uma enfermeira, que cuidou dele por um ano.

"Não sabemos como ele chegou lá, mas sabemos que ela é enfermeira e mora ao lado de um estacionamento de trailers, então pensamos se ele não foi levado por alguém que estava viajando e acabou entrando na casa da enfermeira, e seguindo ela para o hospital, até que ela decidiu dar comida para ele e levá-lo para casa. Ela cuidou dele muito bem", disse a dona do felino, Katrina Phillips.

Mas a enfermeira teve que se mudar e acabou levando Clyde para uma veterinária, que descobriu que ele tinha um microchip. Depois de checar a identidade do gato, ela localizou a dona na Tasmânia.

Katrina Phillips e a filha, Ashleigh Sullivan, não conseguiram conter a emoção quando se reencontraram com Clyde nesta quarta-feira. Elas dizem que ele foi muito bem tratado e está até um pouco acima do peso.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.