Geadas no Paraná causam prejuízos para o milho e trigo

As fortes geadas que caíram sobre o Paraná nos últimos dias e a previsão de novas geadas até o final da semana, começam a provocar prejuízos para a agricultura paranaense, principalmente nas culturas de soja e trigo. As últimas geadas foram consideradas pelo Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) as mais fortes dos últimos anos.

JULIO CESAR LIMA, Agência Estado

24 de julho de 2013 | 20h05

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) do Paraná, há uma expectativa de que entre 20% e 25% da produção de milho e 51% a 52% da produção de trigo tenham sido afetadas pelas geadas e podem ter sido prejudicadas. O técnico do Deral, Marcelo Garrido, porém, afirma que é prematuro prever as perdas. "Não dá para estimar ainda o prejuízo, estamos com técnicos em campo avaliando as situações em nossas regionais e esses números poderão ser confirmados uma semana após o final das geadas", disse.

Além dos problemas do trigo e milho, os rebanhos de gado, cujas pastagens estão congeladas e a produção de hortaliças também estão com problemas, mas o maior pode estar com o café, que é produzido em uma região (Norte) do estado mais quente, mas que também teve problemas com a geada.

Segundo boletim do Deral da regional de Ponta Grossa, diversas culturas serão atingidas pelas geadas. "As culturas de trigo e aveia possuem cerca de 10% da área mais sujeita a prejuízos por estarem iniciando o emborrachamento. É prematuro estimar extensão dos danos não só nas culturas de inverno, mas também nas frutas como maçã e morango, além de olerícolas e hortaliças", informou.

Já em Francisco Beltrão a produção de trigo deve ser a mais afetada. "Hoje (ontem) amanheceu com geada forte em toda a região. Haverá perdas na cultura do trigo, pois aproximadamente 60% da área plantada está

em fase suscetível à geadas".

A geada que tem sido uniforme no Estado e deve continuar. O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) chegaram a emitir boletins com orientações aos agricultores para protegerem melhor suas culturas.

Há previsões de geadas para esta quinta-feira, 25, e podem ser repetidas as temperaturas provocadas em Inácio Martins, que registrou -4,5º, a menor do Estado; Guarapuava com -3,8ºC; e Londrina que chegou a zero grau e onde se concentram grandes produções de café e hortaliças.

Na capital, a quarta-feira registrou a menor temperatura desde o ano 2000, com -2ºC e a segunda menor desde 1997. No Estado as temperaturas não ultrapassaram os 10ºC.

Mais conteúdo sobre:
frioPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.