Gêmeas siamesas estão internadas em Minas

Médicos da Santa Casa de Belo Horizonte acompanham duas meninas, Vitória e Viviane, que há uma semana nasceram unidas pelo abdome. As gêmeas siamesas foram diagnosticadas como portadoras de "cardiopatia congênita complexa". O hospital não se pronunciou, mas o pai, Renato Bragança, de 23 anos, disse à imprensa local que a possibilidade de uma cirurgia para separá-las foi descartada.

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

15 Junho 2011 | 00h00

A mãe das gêmeas, uma adolescente de 17 anos, não se submeteu a nenhum exame de ultrassom durante a gestação. As crianças nasceram no dia 9 no Hospital e Maternidade Vital Brazil São Camilo, em Timóteo, no Vale do Aço mineiro. Na hora do parto nem os pais nem o obstetra tinham ideia de que se tratava de um caso de gêmeas siamesas. Após dois dias na Unidade de Tratamento Intensivo, elas foram transferidas para a capital mineira. Sem recursos, os pais não permaneceram em Belo Horizonte.

Segundo o boletim médico divulgado ontem, Vitória e Viviane continuam internadas na UTI. Elas "mantêm-se estáveis, com respiração espontânea, recebendo oxigênio por cateter nasal e dieta por sonda gástrica, com boa tolerância, apresentando funções fisiológicas preservadas", diz o comunicado assinado pela médica Ana Adalgisa Borges.

O Estado não conseguiu ontem contato com o pai das gêmeas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.