General é criticado por elogiar estratégia no Iraque

Comandante apresentou relatório sobre escalada ao Congresso americano.

BBC Brasil, BBC

11 de setembro de 2007 | 09h28

O principal comandante militar americano no Iraque, o general David Petraeus, foi duramente criticado no Congresso depois de apresentar um relatório sobre os progressos militares da nova estratégia do país no Iraque.O presidente do Comitê do Congresso para Assuntos Internacionais, o deputado Tom Lantos, do Partido Democrata, disse não aceitar as declarações de que houve sucesso militar com o envio de mais tropas ao país. "A atual escalada de nossa presença militar no Iraque pode ter produzido alguns sucessos táticos. Mas estrategicamente, a escalada falhou", disse ele. Ele acrescentou que é hora de os soldados voltarem aos Estados Unidos "Nós temos que sair do Iraque, para o bem daquele país e para o nosso próprio bem. É hora de sair."Diante de um painel formado por membros dos Comitês do Congresso de Serviços Armados e Assuntos Internacionais, o general Petraeus afirmou acreditar que cerca de 30 mil soldados americanos poderiam deixar o Iraque até o meio do ano que vem.O embaixador americano no Iraque, Ryan Crocker, também prestou depoimento diante do Congresso e, nesta terça-feira, Petraeus voltará a ser sabatinado. Desta vez o painel vai incluir quatro senadores democratas que estão concorrendo à candidatura para a a Casa Branca, entre eles Hillary Clinton e Barack Obama, dois dos favoritos.Segundo o correspondente da BBC em Washington, Jonathan Beale, o depoimento de Petraeus não deve mudar a opinião pública em relação ao conflito, mas o presidente americano, George W. Bush, espera que o relato positivo de Petraeus e Crocke torne mais difícil o argumento para que os Estados Unidos se retirem totalmente do Iraque.O ministro do Exterior iraquiano, Hoshyar Zebari, apoiou a estratégia americana, afirmando que ela já produziu alguns resultados. Outra deputada do Partido Democrata, Lynn Woolsey, disse que o general Petraeus era um "porta-voz" da Casa Branca, o que o militar negou veementemente."Nós estamos quatro anos e meio dentro disso - se funcionasse com 160 mil soldados, já estaria funcionando, e não está", disse ela.Mas o deputado do Partido Republicano Duncan Hunter defendeu o general, afirmando que o progresso militar americano trouxe vantagens para as forças de segurança iraquianas, inclusive um Exército que está "começando a emergir como uma força profissional".O general Petraeus disse que "incidentes de segurança", incluindo violência sectária, diminuíram desde a escalada militar.Respondendo às críticas de que seria muito próximo à Casa Branca, o general afirmou que seu depoimento não foi aprovado pela presidência ou pelo Pentágono antes de ser apresentado, e que ele próprio o havia escrito.Com os 30 mil soldados americanos adicionais enviados para o Iraque entre fevereiro e junho, o número atual é de 168 mil soldados americanos no país, o maior número desde o ínicio da guerra. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.